Dia do Colono e do Motorista reúne bom público em Teutônia

Um público de cerca de 500 pessoas esteve reunido na última sexta-feira, dia 25, na Sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Teutônia, para a festa alusiva ao Dia do Colono e do Motorista. Durante todo o dia, os participantes prestigiaram diversas atividades, entre elas, culto ecumênico, feira do produtor e de artesanato, troca de sementes crioulas, almoço com gastronomia típica germânica, baile, jogos rurais e distribuição de brindes. A organização foi do STR, em parceria com as prefeituras de Teutônia e Westfalia, Emater/RS-Ascar, Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag/RS) e Centro de Apoio ao Pequeno Agricultor (Capa).

Presente no evento, o agricultor Osmar Schneider uniu o útil ao agradável. Proprietário da agroindústria de queijos coloniais Casa Schneider, o empreendedor participa do evento pelo terceiro ano consecutivo como integrante da feira do produtor. “Antes, vinha com a minha família para prestigiar a festa”, ressalta. Com uma venda mensal de cerca de 850 quilos do produto, Schneider se diz satisfeito com a rotina de agricultor familiar. “É claro que tenho que levantar cedo todos os dias, além de sofrer um pouco com a falta de mão-de-obra, mas o retorno compensa”, salienta.

Ao falar de sua história, o empreendedor garante não ter saudade dos anos em que viveu na cidade para estudar e trabalhar. “Hoje os tempos mudaram e há uma aceitação maior dos produtos feitos na colônia”, diz. Ao falar de seu queijo, Schneider orgulha-se por não colocar nenhum tipo de corante ou conservante. “É feito artesanalmente”, ressalta. Com 30 vacas em lactação, o produtor explica que cerca de 300 litros de leite são utilizados diariamente para a fabricação de queijo. “E poderia produzir mais se tivesse alguém para trabalhar comigo, já que a demanda é grande”, observa.

Para a presidente do STR de Teutônia e Westfalia Liane Brackmann, as comemorações por todo o Estado devem ser motivo de orgulho, já que os agricultores são responsáveis pela produção de cerca de 70% da comida que vai para a mesa da população. “São pessoas que têm respeito pela terra, que escolheram o trabalho no campo como um modo de vida e que devem ser reconhecidas por isso”, lembrou. Para Liane, ainda que haja desafios – especialmente em relação à sucessão no meio rural – as conquistas devem ser comemoradas. “Vocês devem sentir orgulho por tudo o que representam para a sociedade”, completou.

O gerente regional da Emater/RS-Ascar, Luiz Bernardi, valorizou a data pelo fato de a agricultura familiar esta diretamente ligada ao crescimento, ao desenvolvimento e aos avanços econômicos do Vale do Taquari. “É a ocasião para comemorar e também para refletir sobre os caminhos a serem seguidos pela agricultura Gaúcha”, disse. Bernardi também lembrou o Ano Internacional da Agricultura Familiar, escolhido pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), em 2014. “Algo que tem tudo a ver com a nossa região e que também é motivo de comemoração”, completou.

O evento contou com a presença de outras autoridades, como o diretor do Departamento de Agricultura Familiar da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR/RS), José Ademar Batista; o tesoureiro geral da Fetag/RS, Sérgio de Mirada; o prefeito de Teutônia Renato Altmann e o prefeito de Westfalia, Sérgio Marasca, além de secretários e representantes da Câmara de Vereadores local. Por todo o Estado, as comemorações pelos 190 anos da chegada dos primeiros imigrantes alemães a São Leopoldo, foram celebradas. Na região, outros municípios como Estrela, Colinas e Fazenda Vilanova também promoveram eventos alusivos à data.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...