Dia da Abóbora é comemorado em Imigrante

Como parte das comemorações pelo Dia do Colono e do Motorista, o município de Imigrante celebrou, na última sexta-feira, dia 25, o Dia da Abóbora. O evento, realizado no salão da Comunidade Evangélica, contou com momento ecumênico, apresentação musical, palestra sobre a importância da hortaliça, demonstração de receitas de abóbora, troca de sementes, distribuição de brindes e concurso de abóbora para avaliação dos melhores exemplares em categorias como tamanho, peso e grossura. A realização foi da Emater/RS-Ascar e do Centro de Referência da Assistência Social (Cras).

Na ocasião também houve o lançamento do livro “Sabores e saberes da Agricultura Familiar de Imigrante”, que promove um resgate do autoconsumo da mandioca e da abóbora pelas famílias rurais. A extensionista da Área Social da Emater/RS-Ascar, Nair Kunzler Massotti, explica que no livreto são mais de 50 receitas utilizando ambos os alimentos, com o objetivo de preservar a soberania e a segurança alimentar. “A finalidade também é valorizar o incremento da produção, para que o excedente possa ser vendido, gerando renda e melhorando a qualidade de vida das famílias envolvidas”, ressalta.

Sobre a abóbora, a técnica em Agropecuária da Emater/RS-Ascar, Cristiane Dexheimer, ressalta ser um alimento muito versátil, de fácil digestão, com poucas calorias, barato e nutritivo. “É fonte vitamina A, auxilia na boa saúde dos olhos e da pele, tem ação antioxidante e previne doenças degenerativas”, lembra. Aos agricultores interessados em desenvolver a produção, Cristiane salienta o fato deque uma área de um hectare é capaz de render cerca de 20 toneladas da hortaliça, que pode ser vendida in natura por R$ 0,50 o quilo. “Isso sem falar nas tantas alternativas de processamento”, observa.

A produtora Céria Staggemeier, da localidade de Onze de Novembro, foi uma das participantes do evento, vencendo o concurso na categoria que avaliava a abóbora mais comprida. Na competição também conquistou a distinção como a produtora com o maior número de espécies diferentes. Apesar de levar mais de nove tipos de abóboras para o evento, afirmou produzir a hortaliça apenas para o consumo das suas vacas leiteiras ou para presentear vizinhos e amigos que queiram. “Apesar de possuir muitas variedades, quase não faço nenhuma receita em casa, já que a família não gosta”, explica.

Situação diferente é a do produtor Adelino Rottoli, da localidade de Daltro Filho. Em sua casa, os pratos com abóbora são frequentes. “É uma alternativa excelente para fazer doces e outras receitas”, diz. O alto poder nutricional da hortaliça, também faz com que o agricultor – que já foi caminhoneiro, sapateiro e fabricante de cachaça – a utilize na dieta dos animais. No concurso conquistou o prêmio de abóbora mais pesada, ao trazer uma variedade com mais de 18 quilos. “Foi trabalhoso até pra carrega-la”, sorriu.

O gerente adjunto da Emater/RS-Ascar, Diego Barden dos Santos, lembrou o Ano Internacional da Agricultura Familiar, escolhido pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) em 2014. “A abóbora tem um simbolismo importante, por todas as possibilidades que ela nos oferece em termos de gastronomia, com uma imensa variedade de pratos doces e salgados”, ressaltou. “Ainda assim, muitas famílias ainda vão dormir com fome, no mundo todo, cabendo a nós a reflexão”, finalizou. Também participaram do evento outras autoridades, como o prefeito de Imigrante Celso Kaplan e o supervisor da Emater/RS-Ascar Álvaro Mallmann.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...