Dália registra o maior lucro de sua história

Encantado – No último dia 22 de março de 2013, nas dependências do Clube Comercial Encantado, a Cooperativa dos Suinocultores de Encantado Ltda. realizou sua Assembleia Geral. Num primeiro momento ocorreu a assembleia geral ordinária, quando foram apresentados o Relatório da Administração, o Balanço Geral e demais demonstrativos, bem como eleito o novo Conselho Fiscal.

O ano de 2012 foi um ano histórico para a Dália Alimentos. A par do ápice ocorrido com a inauguração da planta industrial de leite em pó e, mesmo sendo um período difícil para o agronegócio, o ano encerrou-se com o registro do maior lucro da história da cooperativa: R$ 21.500.365,00. Desse valor, foram distribuídos R$ 1.060.000,00 para os funcionários, a título de PLR – Participação nos Lucros e Resultados e R$ 8.083.976,72 foram distribuídos para os associados. Por decisão da Assembleia Geral, R$ 766.596,00 foi destinado para correção do capital social dos associados, no mesmo índice de correção da poupança. E, R$ 7.317.380,72 foram divididos igualmente entre a conta capital e a conta bancária individuais de cada associado, na proporção do valor da entrega da produção.

Como funciona o retorno aos produtores associados?

É preciso registrar que esse lucro seria bem mais expressivo se já não houvesse sido antecipado aos associados, durante todo o ano de 2012, um valor em torno de oito milhões de reais, nos fornecimentos de insumos. Todos os insumos são fornecidos a preço de custo, porque a Dália Alimentos entende que o lucro deve ser advindo das operações relativas à industrialização e à comercialização da produção entregue pelos associados e não dos insumos a ele fornecidos: estes devem contemplar apenas o seu custo, permitindo aos associados a obtenção de resultados positivos em suas propriedades.

Na mesma assembleia foram eleitos os Conselheiros Fiscais para o exercício 2013: José Carlos Ziliotto, de Serafina Corrêa; Luiz Carlos Valdameri, de Putinga; Adriano Feronatto, de Canudos do Vale, como efetivos e Diego Ismael Lansing, de Arroio do Meio; Enio Luis Teobaldi, de Relvado e Marcos Raimundo Marchi, de Progresso, como suplentes.

Um novo modelo de gestão

A segunda parte da assembleia geral tratou da reforma estatutária, consolidando o processo de profissionalização da gestão iniciado nos anos 90 e que ao longo desse período sofreu contínuas adaptações. Nesta reforma, foram oficializadas algumas mudanças relativas à distinção entre a sociedade cooperativa e a empresa de propriedade dessa sociedade, ou seja:

1º) a consolidação do Conselho de Administração como o órgão responsável pela gestão da cooperativa;

2º) o Conselho de Administração exercerá essa gestão através de Diretores de sua confiança:

– através do Diretor eleito, denominado Presidente do Conselho de Administração, cargo ocupado por Gilberto Antônio Piccinini, que tem como Vice-Presidente do Conselho de Administração, Pasqual Bertoldi. – através do Presidente Executivo, profissional contratado no mercado, cargo ocupado por Carlos Alberto de Figueiredo Freitas.

3º) a caracterização da Sociedade Cooperativa, que é a associação de todas as famílias que formam a Sociedade Cooperativa, cuja gestão é de responsabilidade do Presidente do Conselho e cuja principal função é a liderança e a coordenação dessa sociedade e sua representação externa;

4º) a caracterização das indústrias e dos negócios de propriedade da Sociedade Cooperativa, cuja gestão é de responsabilidade do Presidente executivo e cuja principal função é a liderança e a gestão dos negócios da empresa.

Essas alterações representam, em síntese, o resultado de viagens de estudo realizadas pelo Conselho de Administração da Dália Alimentos, a empresas brasileiras e internacionais, cuja estruturação de gestão é semelhante ao Cooperativismo Europeu. No Brasil, a Dália Alimentos é a única cooperativa com essa estrutura, modelo das cooperativas europeias.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...