Dália prossegue com obras em condomínios

A robótica está cada vez mais próxima dos produtores de leite associados da Dália Alimentos. Em 2015, quatro municípios terão pavilhões com robôs realizando a ordenha hoje realizada pelo homem com auxílio de alguns equipamentos.

O Projeto Associativo de Produção Leiteira com ordenha robotizada já saiu do papel e teve as suas obras iniciadas nos municípios de Nova Bréscia, Roca Sales e Arroio do Meio. Candelária dará início somente no próximo semestre.

No município de Nova Bréscia, o estágio é o mais avançado. O condomínio, que está sendo edificado na localidade de Linha Tigrinho Baixo, em uma área de 13 hectares, já possui a terraplenagem concluída e as fundações da estrutura iniciadas. Uma das três habitações que serão construídas para os funcionários também está em fase de construção, além do acesso ao condomínio que já foi finalizado.

Em Roca Sales, o projeto será executado em uma área de sete hectares, na localidade de Linha Barão do Triunfo. No mês de outubro, a terraplenagem teve início para posterior demarcação do pavilhão. No município de Arroio do Meio os trabalhos de limpeza e terraplenagem tiveram início na última semana de outubro e já foram concluídos. Em Candelária, o projeto deverá iniciar no próximo semestre, em uma área com dez hectares na localidade de Linha Boa Vista.

O gerente da Divisão Produção Agropecuária (DPA) da Dália Alimentos, Igor Weingartner, explica que a cooperativa definiu um cronograma de obras para cada município, ficando estipulado que os condomínios de Nova Bréscia e Roca Sales deverão começar a operar no primeiro semestre de 2015, e os de Arroio do Meio e Candelária no segundo semestre do próximo ano. “Iniciada as obras, o período de execução é de aproximadamente oito meses até a conclusão, porém, precisamos considerar que estamos expostos a fatores externos como longos períodos de chuva e excesso de rochas subterrâneas, o que dificulta a execução dos aterros e limita a disponibilidade de equipamentos para terraplenagem cedidos pelas prefeituras”, explica, informando que, embora isso, as obras estão evoluindo rapidamente.

Qualidade de vida para o associado

Qualidade de vida para o associado e qualidade do leite estão no discurso do presidente do Conselho de Administração da Dália Alimentos, Gilberto Antônio Piccinini. Ele ressalta que a cooperativa, através de projetos pioneiros e com alto padrão tecnológico, visa difundir, junto aos associados, um novo conceito expandido no mundo, que está ligado à robótica, à diminuição da mão de obra, à otimização de tempo, à qualidade de vida e da matéria-prima. “Essas tecnologias foram introduzidas na suinocultura, através da automatização na produção, e agora chega também à bovinocultura leiteira.”

Piccinini destaca a sanidade do rebanho que integrará o condomínio e, consequentemente, a qualidade do leite produzido. “Com um sistema altamente tecnológico será possível diagnosticar, no momento da ordenha, possíveis enfermidades dos animais, pois o robô aliado a todo o sistema permitirá detectar e já descartar o leite impróprio ou contaminado no momento do processo.”

E finaliza: “buscando tecnologia de ponta, estamos inserindo os produtores em uma realidade mundial, de países desenvolvidos, buscando a qualidade da matéria-prima e, principalmente, a qualidade de vida, o bem-estar e a rentabilidade dos produtores.”

Investimento de R$ 20 milhões

O investimento da Dália Alimentos no Projeto Associativo de Produção Leiteira será de R$ 20 milhões nos quatro empreendimentos. O valor será utilizado para a aquisição de 12 conjuntos de robôs DeLaval, sendo três para cada para condomínio, além da edificação dos pavilhões com 120 metros de comprimento cada, silos, habitações para os funcionários, máquinas, equipamentos, programas e sistemas de informática, entre outros. Cada projeto integrará em torno 15 famílias e 262 animais, totalizando 60 famílias envolvidas diretamente na iniciativa e 1.048 animais alojados.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...