Dália inicia construção de condomínio com ordenha robotizada

Teve início, na última semana, a limpeza da área de terras e a terraplenagem do local que, em 2015, irá abrigar o primeiro dos quatro projetos que integram o Projeto Associativo de Produção Leiteira – Condomínios de Leite da Dália Alimentos.

Nova Bréscia foi o primeiro município a agilizar a aquisição da área de terras de 13 hectares junto à localidade de Linha Tigrinho Alto. Também foi o primeiro a aprovar junto à Câmara de Vereadores o projeto de lei que firmou a parceria público-privada entre a Dália Alimentos e o Poder Público para a compra do espaço e concessão de incentivos para viabilizar a edificação do condomínio com ordenha feita por robôs.

Os serviços com máquina estão transcorrendo, bem como o de instalação de energia elétrica. Esteve acompanhando o início das obras o presidente do Conselho de Administração da Dália Alimentos, Gilberto Antônio Piccinini; o gerente da Divisão Produção Agropecuária (DPA), Igor Weingartner; o presidente do condomínio de Nova Bréscia, associado Admir Lorenzon; o técnico responsável por coordenar a obra, Paulo Roman; e o representante do Departamento de Grandes Projetos da DeLaval, Márcio Gato.

A estimativa é de que o condomínio comece a operar em 2015, com inauguração prevista para o mês de abril, durante os festejos do cinquentenário de Nova Bréscia. O empreendimento contará com a participação de 16 produtores de leite e 262 animais alojados. Cada projeto irá produzir, após a estabilização do seu rebanho, em torno de 2,3 milhões de litros de leite por ano.

Além de Nova Bréscia, outros três projetos começarão a sair do papel nos municípios de Arroio do Meio (Passo do Corvo), Candelária (Linha Boa Vista) e Roca Sales (Linha Barão do Rio Branco).

Projeto único na América Latina

De acordo com Gato, a iniciativa da Dália Alimentos é única na América Latina. “Não possuímos informações de outro projeto igual, elaborado e construído de forma associativa. É o único na América Latina e acreditamos também ser o único em toda a América”, salienta.

No Brasil, segundo ele, existem outros projetos semelhantes com a utilização de robôs para o processo de ordenha. Entretanto, são executados de forma independente e não por cooperativas. O pioneiro foi em Castro, no Paraná, cujo estado conta com cinco robôs ordenhando. Outros dois estão localizados em Seberi, no Norte do Rio Grande do Sul, e um em Brotas, São Paulo.

Dália investe mais R$ 8,2 milhões

No total, a Dália Alimentos investirá R$ 16 milhões no Projeto Associativo de Produção Leiteira – Condomínios de Leite. O valor é destinado à aquisição de robôs e equipamentos nos projetos que serão edificados nos municípios de Nova Bréscia, Roca Sales, Arroio do Meio e Candelária.

Na última semana, outros nove equipamentos foram adquiridos, totalizando um investimento de R$ 8,2 milhões – os três primeiros foram comprados ainda no mês de maio, para Nova Bréscia. O contrato foi fechado com a DeLaval, empresa sueca responsável pela fabricação dos robôs, representada por Márcio Gato.

Estiveram presentes na formalização do pedido de compra para os equipamentos que irão integrar os projetos de Arroio do Meio e Roca Sales o presidente Gilberto Antônio Piccinini; vice Pasqual Bertoldi; presidente Executivo, Carlos Alberto de Figueiredo Freitas; conselheiro da região de Arroio do Meio, Rubino Rahmeier; gerente da DPA, Igor Weingartner; além de Gato, representando a DeLaval.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...