Dália vai à Rússia visualizar mercado para possível exportação

A tentativa de buscar a habilitação da planta do Complexo Lácteo de Palmas, em Arroio do Meio, e projetar mercado para vendas futuras de produtos suínos motivou a viagem da supervisora de Exportação da Dália Alimentos, Márcia Daltoé, à Rússia.

Com uma comitiva liderada pela BRU Importadora, Márcia esteve no exterior no período de 24 a 31 de março. Além dela, compuseram a comitiva Alessandra Serednyakova e Rafael Guertzenstein, representantes da empresa importadora. Foram visitadas empresas no estado de Vologda, além de um frigorífico de suínos e bovinos do empresário Kostantin Nikolay, articulador do projeto para possível importação de leite em pó e carne suína junto à BRU Importadora.

A comitiva também esteve no Departamento de Agricultura, Alimentos e Negócios da Região de Vologda reunida com o vice-governador, Nikolai Guslinskiy e com o encarregado do Departamento de Assuntos Econômicos, Nikolay Anishenko.

De acordo com Márcia, a BRU, que tem sede em Curitiba (PR), apresentou interesse em trabalhar na região de Vologda, buscando investidores no Brasil e também atuando no fornecimento de matéria-prima para as indústrias locais, principalmente nos segmentos de carne suína e leite em pó. “A Dália Alimentos foi apresentada como empresa brasileira produtora e exportadora de leite em pó e carne suína interessada em comercializar seus produtos com o estado de Vologda”, informa Márcia.

Para fechar a visita àquela região, foi elaborado um protocolo de intenções, mencionando as empresas visitadas no estado de Vologda, a fim de prospectar futuras parcerias entre as empresas russas e brasileiras.

Em continuidade à viagem, na capital Moscou, houve reunião no Ministério da Agricultura da Rússia com a participação de lideranças locais. O diretor adjunto do Departamento de Cooperação Internacional, Artem Tsinamdzgvrishvili Nikolaevich, adiantou que a Rússia preza pelo bom relacionamento com o Brasil, mas alertou que a balança comercial é muito desfavorável e que será preciso haver o esforço de ambas as partes para modificar tal cenário. “O Brasil precisa importar mais da Rússia, para que não fiquemos em tamanha desvantagem e que haja uma maior colaboração entre as nações”, disse Nikolaevich.

Na mesma audiência, Márcia destacou o interesse da Dália Alimentos em fornecer leite em pó e carne suína aos russos. “Como uma empresa tradicional e que utiliza tecnologias modernas na produção de leite e na criação de suínos, a Dália pode participar do projeto compartilhando seu know how com as empresas de Vologda”, argumentou, reiterando a necessidade de que as plantas sejam habilitadas.

Na avaliação da supervisora, o trabalho terá continuidade através do contato com os Ministérios da Rússia e do Brasil para que a habilitação das plantas seja efetivada. “Pode ser que seja necessária uma missão de veterinários russos para visitar a planta, mas ainda não está definida. Enquanto isso, também estamos prospectando outros possíveis importadores, a fim de articular negócios e verificar as adequações necessárias ao produto, principalmente embalagem e rótulos. É apenas o início de um árduo trabalho que ainda poderá levar um certo tempo para se tornar realidade”, salienta Márcia.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...