Dália Alimentos apresenta nova era na atividade leiteira

Uma nova era na atividade leiteira, em que máquinas desempenham a função do homem na realização da ordenha, já é realidade na Dália Alimentos. Na quinta-feira, dia 10, a cooperativa inaugurou um projeto único na América Latina onde robôs são os responsáveis pela ordenha dos animais.

Pioneiro e inovador em sua concepção, o projeto associativo possui 16 produtores de leite associados e recebeu investimento de R$ 5 milhões, financiados pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), que é vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia. O projeto inaugurado está localizado na comunidade de Linha Tigrinho Baixo, em uma área com 13 hectares no município de Nova Bréscia. Outros três encontram-se em fase de construção nos municípios de Roca Sales, Arroio do Meio e Candelária.

Durante a inauguração, os olhares do público – mesclado entre delegados, suplentes, conselheiros, direção, comunidade local, regional e estadual, lideranças e autoridades, associados e familiares – estiveram voltados para as instalações do empreendimento. O pavilhão central, dividido em pista de alimentação, área de camas e sala de espera, tem capacidade para 262 animais. No momento encontram-se alojados 115 animais em lactação e 66 vacas secas e novilhas. A produção atual é de 2,5 mil litros, com estimativa de atingir 6,5 mil litros em sua capacidade máxima.

Totalmente automatizado, o projeto opera com três robôs da marca DeLaval, importados da Suécia, os quais realizam a ordenha das vacas 24 horas por dia, sete dias por semana. Cancelas, que são abertas conforme diagnostico de um chip acoplado em cada animal, determinam a direção de cada vaca. Desta forma, elas sabem o momento exato de ordenhar ou se alimentar.

Pioneirismo elogiado

A alta tecnologia empregada no projeto e o pioneirismo da Dália Alimentos no investimento milionário pautou o discurso das autoridades presentes na cerimônia de inauguração. O presidente Executivo da Dália Alimentos, Carlos Alberto de Figueiredo Freitas, destacou o surgimento da ideia, que foi amadurecida após viagem à região da Galícia, na Espanha, modelo mundial na produção leiteira. “Esse projeto foi um sonho que se tornou realidade com a união de muitos esforços. É um modelo que serve de solução para a inviabilidade de pequenas propriedades.”

O produtor associado e presidente do condomínio, Admir Lorenzon, falou em nome dos 16 condôminos associados enaltecendo que se trata de um projeto público-privado que quebrou paradigmas num momento em que o país encontra-se centrado em uma grande crise. “Estamos sonhando, realizando e fazendo história.” O representante da DeLaval, Márcio Gato, frisou o cunho familiar da empresa sueca DeLaval e disse que a Dália apresentou à comunidade “a nova era do leite.”

O presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergilio Perius, frisou o espírito de trabalho, de fé e de cooperação de todos os envolvidos no projeto e salientou que a tecnologia implantada permitirá que os produtores otimizem tempo e minimizem a mão-de-obra. “O momento de hoje é uma revolução. Parabéns à Dália por essa atitude e por mais uma vez alavancar o pioneirismo dentro do sistema cooperativo.” O coordenador regional de Agricultura, José Luiz Cenci, representando o secretário Estadual de Agricultura, Ernani Polo, definiu o projeto como “uma experiência corajosa e audaciosa que inova, quebra paradigmas e serve de exemplo para as demais empresas e produtores de todo o Brasil.”

O prefeito de Nova Bréscia, Gilnei Agostini, ressaltou o orgulho do município em sediar um projeto definido como “obra magnífica.” Frisou o respaldo que a Dália Alimentos possui e o espírito audacioso e ousado em realizar investimentos de alta ordem financeira em momentos de crise. “Com certeza a junção de esforços faz a força. Sejamos nós, da Administração Municipal e do Legislativo, sejam vocês, da cooperativa, ou dos produtores. É com o trabalho conjunto que os sonhos se transformam em projetos e estes em realidade.”

O secretário Estadual de Desenvolvimento Rural e Cooperativismo, Tarcísio Minetto, lembrou quando acompanhou a viagem à Galícia junto à comitiva da Dália. “Desde aquele momento percebemos o quanto essa cooperativa tinha interesse em inovar. Vocês foram ágeis e com os pés no chão.” Fez alusão ao cooperativismo dizendo que quando há a junção de esforços tudo se torna viável. “A Dália é um exemplo de que tudo é possível quando existe cooperação. Vida longa à Dália e ao cooperativismo.”

O presidente do Conselho de Administração, Gilberto Antônio Piccinini, recordou meados de 2013, quando um grupo esteve no local onde hoje é o condomínio, formalizando o início dos trabalhos através de um aperto de mão. “Naquele dia tínhamos consciência de que seria o início de um grande projeto, com alta tecnologia e união de esforços. É a Dália Alimentos, mais uma vez, sendo protagonista no que se refere à melhoria da qualidade de vida de seus associados.”

Para encerrar, houve o descerramento da placa alusiva à inauguração e um tour pelas instalações do condomínio.

Saiba mais

Os condomínios associativos surgiram da necessidade de buscar soluções para alterar o atual cenário do sistema produtivo tradicional de leite nas pequenas propriedades agrícolas. Os associados da Dália Alimentos, em sua maioria, são produtores com escassa mão-de-mão, com pequenas propriedades, escala de produção mediana/baixa, com pouca expectativa.

Tal realidade levou a cooperativa a buscar alternativas viáveis, sendo que a solução encontrada foi reunir esses produtores com base no conceito do cooperativismo, em um empreendimento associativo, permitindo a diluição dos custos de produção, para aumento da produtividade e, por extensão, de sua renda.

Com isso, o leite do grupo será produzido em um único local, o que garantirá preço maior e melhor qualidade. Todos os recursos serão otimizados, assim como os equipamentos, a mão-de-obra e o tempo investido. Os animais receberão assistência técnica intensiva, alimento balanceado e regular, o que resultará em produtividade e eficiência.

A infraestrutura, a tecnologia e a administração técnica são responsabilidades da Dália Alimentos; os produtores são associados do empreendimento e responsáveis pela alimentação das vacas, formando suas cotas de acordo com o valor dos animais que alojarão no condomínio.

Em quatro anos a Dália projeta que essa unidade atingirá a média de 30 litros de leite vaca/dia, o que dará o montante de 9.150 litros por lactação/vaca, faixa dos maiores produtores de leite do mundo. Com essa cifra, o crescimento de receita de cada município com arrecadação de impostos poderá aumentar em cerca de 168%.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...