Dália Alimentos adquire primeiro conjunto de robôs

Mais um passo foi dado em relação ao Programa Associativo de Produção Leiteira – Condomínios de Leite. Na terça-feira, dia 6, a Dália Alimentos fez o pedido e efetuou a compra de um conjunto de robôs que irá equipar o empreendimento em Linha Tigrinho Baixo, interior do município de Nova Bréscia.

A assinatura do pedido foi formalizada entre o presidente do Conselho de Administração da Dália Alimentos, Gilberto Antônio Piccinini e o presidente Executivo, Carlos Alberto de Figueiredo Freitas, com o presidente da DeLaval na América Latina, Fabiano Amaro e o gerente técnico da Região Sul da DeLaval Brasil, Márcio Denes Gato.

A Dália Alimentos vai investir R$ 2,7 milhões em um conjunto com três robôs e toda tecnológica empregada pela DeLaval, empesa sueca responsável pela fabricação do equipamento destinado à ordenha das 262 vacas que serão alojadas no condomínio que terá a participação de 16 produtores rurais brescienses. Este é o primeiro conjunto adquirido e será instalado em Nova Bréscia, primeiro município também a regularizar a área de terras para a concretização do projeto pioneiro no Brasil.

Na medida em que os demais municípios – Arroio do Meio, Roca Sales e Candelária – regularizarem os aspectos burocráticos, outros conjuntos para a ordenha robotizada serão adquiridos. Conforme o gerente da Divisão Produção Agropecuária (DPA) da Dália Alimentos, Igor Weingartner, os demais conjuntos só poderão ser comprados após a regularização das áreas pela Fepam e prefeitura. “Existem prazos para serem cumpridos, por isso a importância de que os municípios se agilizem o mais breve possível para efetivar a aquisição dos robôs”, ressalta.

O investimento total será de R$ 16 milhões nos quatro empreendimentos, cujos recursos serão investidos pela Dália Alimentos através da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), empresa pública de fomento à ciência, tecnologia e inovação vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).

Para o presidente do Conselho de Administração da Dália Alimentos, Gilberto Antônio Piccinini, a assinatura do pedido para a aquisição dos robôs foi um momento importante e histórico, que marca o início de mais um projeto pioneiro e inovador lançado pela Dália Alimentos. “É mais um passo para a concretização de um sonho, de um ideal da cooperativa pensado há anos. Algo que projetamos no passado e estamos realizando com muita felicidade no futuro.”

O presidente da DeLaval na América Latina, Fabiano Amaro, enfatizou que enxerga o momento como um divisor de águas para o setor leiteiro no Brasil. “A história será marcada pelo antes e depois deste projeto em que a Dália prima, mais uma vez, pelo associativismo em um trabalho coletivo, unindo o trabalho e a produção associativa à tecnologia de ponta com a ordenha por meio de robôs”, falou.

Robôs na ordenha

O sistema de ordenha da DeLaval, chamado de VMS, consiste em um braço hidráulico que executa todo o procedimento de ordenha sozinho, de forma automática. Ele identifica a vaca, alimenta, faz a limpeza dos tetos (através de fluxo de água e ar), estimula, tira os primeiros jatos e seca.

Realizada essa preparação, inicia-se a ordenha. As teteiras são colocadas após o laser identificar o posicionamento dos tetos. Todas as informações são encaminhadas a um computador. As vacas que saem do VMS são separadas automaticamente e seguem para a pista de alimentação, onde tem acesso à comida e à água ou para a área de suplementação, onde se consegue individualizar o fornecimento de concentrado.

Esses caminhos são percorridos a partir de dois portões de seleção, que direcionam as vacas a partir da orientação vinda do robô, que, por sua vez, auxilia no gerenciamento, informando quais animais serão ordenhados e quais não tem necessidade de serem ordenhados. Assim, o portão cumpre o objetivo de maximizar a capacidade de ordenha do VMS.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...