CVC vende rota do Vale a partir de abril

O maior evento técnico de turismo do país, realizado em São Paulo na última semana, serviu de vitrina para a região. A principal operadora de viagens da América Latina, CVC, incluiu 16 pontos turísticos nas ofertas da empresa. Mesmo assim, líderes regionais reforçam necessidade de investimentos na infraestrutura, gastronomia e valorização cultural da região.

A 20ª edição do Workshop & Trade Show da CVC lançou o roteiro do Vale. Mais de dez mil agentes de viagens participaram do evento para conhecer as novas ofertas. Representantes dos nove municípios integrantes da rota estiveram no evento. O encontro reuniu 510 expositores nacionais e internacionais.

O Departamento de Promoção e Marketing da Secretaria Estadual de Turismo (Setur) sugeriu à CVC que o Vale fosse incluído nas programações turísticas. Cerca de 35 agências de turismo gaúchas ofertam roteiros da região aos visitantes. A CVC é a primeira operadora de fora do Estado a oferecer os passeios.

Segundo o gerente de produto da região Sul da CVC, Fernando Del Cistia, a operadora começa a venda do roteiro a partir de abril. Não há definição de valores. Compradores do roteiro têm acompanhamento de guia turístico a partir do desembarque em Porto Alegre. Recomenda-se, aos clientes do Estado, o início do passeio também na capital. O roteiro pode ser adaptado conforme preferência do comprador.

Há seis anos o Conselho Estadual de Turismo estuda a criação da rota. Após o lançamento, a CVC incluiu o Vale no portfólio. Conforme o conselheiro estadual de Turismo e presidente da Amturvales, Rafael Fontana, a venda do pacote de viagem se reflete na consolidação turística da região. Ele diz que, por ano, cerca de cem mil pessoas visitam o Vale do Taquari.

A CVC vinculou três hotéis, seis restaurantes e 16 pontos turísticos ao roteiro. (veja ilustração). A empresa escolhe os estabelecimentos e negocia com os proprietários. Até o momento, nove cidades – Lajeado, Estrela, Colinas, Imigrante, Teutônia, Guaporé, Anta Gorda, Ilópolis e Encantado – formatam a rota. Empresários interessados em participar devem encaminhar ficha cadastral da propriedade à CVC e negociar com a operadora.

De acordo com a demanda de turistas, comércio e serviços recebem qualificação para atender os visitantes. Segundo Fontana, cidadãos também precisam estar preparados para recepcionar e orientar turistas. “Temos muito a melhorar e avançar.”

Nos próximos dias, o conselho se reúne com empresários para discutir perspectivas para novos investimentos. Em alguns meses, a operadora de turismo BWT, do Paraná, também oferecerá roteiro do Vale.

Empresa do Paraná vem à região

Vice-presidente da Amturvales, Gilberto Keller conta que a entidade negocia com a empresa Serra Verde Express, do Paraná, a implantação de passeio de trem como atrativo turístico. Em maio os investidores chegam ao Vale para discutir a retomada da “Ferrovia do Trigo.”

O percurso de 63 quilômetros de linha férrea liga os municípios de Estrela, Colinas, Roca Sales, Muçum, Vespasiano Corrêa, Dois Lajeados e Guaporé. O trem passa por 20 túneis, entre montanhas e vales. Amturvales estima funcionamento do transporte para 2015.

Durante a visita em maio, a equipe coletará mais informações sobre a região e o trajeto do trem. A implantação da linha férrea precisa passar por licenças governamentais.

As estações nas cidades por onde o trem passa necessitam de restaurações, responsabilidade de cada administração municipal. Agências de turismo venderão os pacotes e ingressos para os passeios.

Conforme Keller, a opção turística se soma às existentes – Delícias da Colônia, Rota Germânica, etc. Ele diz que 70% dos visitantes do Estado provêm de São Paulo e do Nordeste para aproveitar o inverno, entre junho e agosto.

R$ 631 mil em qualificação

A região venceu a categoria de Melhores Práticas em Gestão e Planejamento, do Prêmio Inovação do Turismo de 2013. A Setur repassou R$ 631 mil à Amturvales para investimentos em qualificação de pessoas.

O dinheiro foi enviado em duas parcelas: R$ 131 mil e R$ 500 mil. Em novembro passado, a primeira parte deu início aos cursos de Dicção, Oratória e Desinibição, Treinamento de Cerimonial e Protocolo, Gestão Pública do Turismo, Sensibilização ao Turismo, Atendimento ao Turista, Gestão de Empreendimentos Turísticos, Turismo Rural e Boas Práticas e Ambientação nos Serviços de Alimentação.

Com os R$ 500 mil, mais de 20 cursos estão em licitação. As aulas iniciam no segundo semestre e são abertas à comunidade em geral. “Qualquer pessoa que lide com o público precisa saber informar o turista de forma correta”, afirma Keller.

Investimentos em infraestrutura e novos empreendimentos integram os planos da Amturvales. Para Keller, a pavimentação em vias de acesso a pontos turísticos é essencial. As obras precisariam ser feitas com dinheiro público.

Além disso, ele conta que a associação pretende se reunir com empresários para expor o potencial econômico do turismo no Vale. “A procura por roteiros turísticos do Estado cresceu 12% em 2013. Pessoas querem novas opções.”

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...