Curso de Bovinocultura de Leite forma mais uma turma de agricultores

Foi finalizada na última sexta-feira, dia 9, mais uma edição do curso de Bovinocultura de Leite, realizado no Centro de Formação de Agricultores de Teutônia. Com ênfase no tema “Criação de Terneiras”, a capacitação levou a 18 agricultores dos municípios de Dois Lajeados e Vespasiano Corrêa, informações sobre qualidade do leite, produção de forrageiras, principais doenças do rebanho leiteiro, higiene da ordenha, manejo reprodutivo, entre outros. A realização foi da Emater/RS-Ascar, Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR/RS) – por meio do Programa Leite Gaúcho – e Colégio Teutônia.

O próximo curso com turma já fechada ocorre entre os dias 19 e 23 de maio. Para o período compreendido entre os dias 2 e 6 de junho, estão abertas as inscrições, no próprio Certa ou nos escritórios da Emater/RS-Ascar, para mais uma turma. Durante o ano de 2014 deverão ser capacitados, de acordo com o assistente técnico regional (ATR) da Emater/RS-Ascar em Bovinocultura de Leite, Martin Schmachtenberg, mais de 200 agricultores familiares nos cursos de Bovinocultura de Leite e Qualidade de Leite, realizados no Certa. Além destas, também são oferecidas capacitações em temas como Gerenciamento da Propriedade Rural e Plantas Medicinais, Aromáticas e Condimentares.

Segundo Schmachtenberg, mesmo com as dificuldades em ficar afastados das atividades na propriedade por uma semana, a presença de jovens produtores e o envolvimento deles nas capacitações são importantes e devem ser valorizadas. “Ocorre que essa imersão é necessária para que o foco seja total na apreensão dos conteúdos, o que possibilitará aos envolvidos um melhor aproveitamento dos conhecimentos adquiridos quando do retorno”, enfatizou. Para o ATR, os investimentos em capacitações na área do leite, por meio da SDR/RS, possibilitarão o fortalecimento da cadeia produtiva não apenas no Vale do Taquari, mas em todo o Estado.

Um dos participantes foi o jovem produtor Guilherme Felisberto, de apenas 22 anos. A pouca idade não impediu o morador da localidade de Linha 1º de Março, em Dois Lajeados, de ter vasta experiência profissional, já que, durante cinco anos, trabalhou em uma corretora de seguros, no município de São Leopoldo. Sem perspectivas de crescimento, resolveu retornar a propriedade. “Fui motivado pelos investimentos realizados pelos meus pais, em áreas como melhoramento genético, aquisição de novilhas e qualificação das pastagens”, explica.

Com cerca de 40 vacas em lactação, a propriedade onde Guilherme mora com os pais, produz uma média de 900 litros de leite por dia. “O objetivo é aumentar este número para mil litros, de preferência mantendo ou reduzindo o plantel”, afirma. A participação na capacitação é parte deste objetivo, explica o jovem, estudante do sexto semestre do Curso de Administração de Empresas. “Mais do que aprender o que o curso ensina, temos a oportunidade de trocar experiências, ouvir de outros produtores sobre outras realidades”, diz, garantindo também haver mercado para quem tem interesse.

A opinião de Guilherme é compartilhada pela da produtora Roberta Dors, da localidade de Linha Dona Isaura, em Dois Lajeados. Com 35 vacas em lactação, produzindo 550 litros de leite por dia, acredita ser importante qualificar. “Há cerca de três anos começamos (ela e os pais), na nossa propriedade, um trabalho voltado ao melhoramento genético, aos cuidados com a ordenha e a qualificação das pastagens, tendo bons ganhos de produção”, ressalta. O resultado pode ser visto no valor pago pela integradora, atualmente fixado em R$ 1,14 por litro. Para Roberta, as capacitações foram parte do processo. “A gente sempre aprende algo diferente”, garante.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...