Cultura da Noz Pecan é tema de seminário na 5ª FestLeite de Anta Gorda

Dentro da programação da 5ª FestLeite de Anta Gorda foi realizado o III Seminário da Cultura da Noz Pecan. O evento, que contou com a participação de mais de 200 pessoas, foi realizado em duas etapas. No turno da manhã houve palestras com representantes de diversas entidades. Na parte da tarde foi realizada atividade de campo na propriedade do produtor Jairo Casagranda, da localidade de Linha Pedro Álvares Cabral.

O seminário foi a oportunidade para que produtores, técnicos, estudantes e interessados conhecessem mais sobre temas como planejamento, implantação e manejo do pomar; podas de formação e frutificação; métodos de irrigação; colheita, qualidade, pós-colheita e armazenamento; e situação do mercado da noz pecan no Brasil e no Mundo. A diversidade de temas e o equilíbrio entre explicações teóricas e práticas atraíram visitantes não apenas dos municípios Gaúchos, mas também de outros Estados, como Santa Catarina e Paraná.

Um dos visitantes foi o jovem produtor Gustavo Krummenauer, 23 anos, do município de Dona Emma – localizado no alto do Vale do Itajaí, em Santa Catarina. Produtor a menos de um ano, acredita ser importante este tipo de evento pelo aprendizado proporcionado. “Como o meu pomar ainda é novo foram fundamentais os conhecimentos adquiridos sobre a preparação do solo e a importância da poda”, avalia. Com 190 árvores em seu pomar, afirma ter escolhido o trabalho com as nogueiras pela facilidade do manejo e pela boa rentabilidade.

Para o produtor Edemir Bernardon da localidade de Itapuca, em Anta Gorda, a boa produtividade é resultado não apenas da poda e da irrigação adequadas, mas também da escolha das mudas, do terreno e do respeito a questões de espaçamento. “Antigamente a gente plantava de qualquer jeito e não entendia muito bem porque a produtividade era tão baixa”, explica. “Hoje, com conhecimento técnico, com acesso a novas tecnologias, acredito quer a produção de nozes seja uma ótima alternativa”, avalia Bernardon, que pretende aumentar o pomar, hoje com 200 pés.

Mediador das palestras, o assistente técnico regional (ATR) em Fruticultura da Emater/RS-Ascar, engenheiro agrônomo Derli Paulo Bonine, garante ser possível produzir nozes em qualquer município gaúcho, com bons resultados, apenas sendo necessário respeitar alguns aspectos como correção do solo e qualidade das mudas. “Também é importante que o agricultor familiar interessado em investir em nogueiras entenda a importância de se respeitar o espaçamento entre as árvores, o que garantirá bom retorno”, salienta.

Para os produtores preocupados com o retorno financeiro, já que as nogueiras começam a frutificar cerca de oito anos após o plantio, Bonine sugere alternativas de consórcio. “A soja, o milho e o fumo podem ser plantados no mesmo terreno, se apresentando como excelentes alternativas”, diz. Sobre o seminário, o agrônomo acredita ser uma boa oportunidade para a troca de experiências e para a atualização técnica. “O grande e variado público é um indicativo do reconhecimento que o seminário vem tendo”, finalizou.

O seminário também contou com a presença de outras autoridades, entre elas o prefeito de Anta Gorda Neori Dalla Vecchia e o presidente da 5ª Festleite Darci Angelo de Carli, além de representantes de outras entidades como a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), da Unisafe Consultoria e dos Viveiros Pitol. No turno, da noite, quando da abertura do evento, o presidente da Emater/RS e superintendente geral da Ascar, Lino De David, esteve presente.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...