Cruzeiro do Sul realiza palestras para integrantes do Programa de Fomento à Inclusão Social e Produtiva

O município tem realizado, durante o mês de maio, uma série de palestras voltadas às famílias integrantes do Programa de Fomento à Inclusão Social e Produtiva – parte do Plano Brasil Sem Miséria (PBSM), do Governo Federal, que visa à erradicação da pobreza extrema em solo gaúcho. As atividades têm ocorrido na Escola Estadual de Ensino Fundamental (EEEF) de Itaipava Ramos, na localidade de São Miguel, e contam também com a participação de agentes de saúde, professores, alunos e agricultores familiares.

Por meio do Programa, operacionalizado pela Emater/RS-Ascar, famílias em vulnerabilidade social do meio rural receberam R$ 2,4 mil, em duas parcelas – uma de R$ 1,4 mil e outra de R$ 1 mil – para serem investidos em atividades produtivas, que possam garantir, minimamente, a segurança e a soberania alimentar dos envolvidos. Assim, o objetivo das palestras é o de orientar e de incentivar as famílias para que haja uma boa execução dos projetos que estão sendo implantadas em cada propriedade.

Entre os temas abordados já estiveram a segurança e soberania alimentar com ênfase na produção de alimentos orgânicos e a avicultura colonial. O próximo encontro, a ser realizado nesta quinta-feira, dia 21, terá como tema a fruticultura com ênfase na implantação de um pomar doméstico. As palestras são ministradas por técnicos e extensionistas da Emater/RS-Ascar. “É importante que os integrantes entendam que o objetivo principal desse processo é estimular as famílias para a produção de alimentos em quantidade e qualidade suficientes” ressalta o supervisor da Emater/RS-Ascar, João Caíno.

Em Cruzeiro do Sul, de acordo com o técnico em agropecuária da Emater/RS-Ascar, Maurício Antoniolli, são dez as famílias participantes do Programa. “Boa parte delas já está com os projetos para implantação de galinheiros, de chiqueiros, de pomares ou de hortas, bem encaminhados”, salienta. Na região de abrangência do escritório regional da Emater/RS-Ascar de Lajeado participam das atividades mais de 200 famílias dos vales do Caí e Taquari. “É um trabalho altamente social, que tem transformado a vida de muitas pessoas que, antes, conviviam com a invisibilidade”, garante a responsável pela área Social da Emater/RS-Ascar, Elizangela Teixeira, uma das coordenadoras do Programa na região.

Uma das participantes é a agricultora Márcia Agnes da localidade de Linha Lotes. Na propriedade em que mora com o marido e dois filhos implantou um galinheiro onde já estão colocadas 31 aves. “A expectativa é de que elas iniciem logo a produção de ovos”, sorri. Parte do dinheiro também será utilizada para a colocação de uma horta e de um pomar para a produção de ameixas e caquis. “Como já tenho bergamotas e bananas, será bom ter outros tipos de frutas pra gente comer”, afirma.

O objetivo do Programa, que tem o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Rural e Cooperativismo (SDR), é aumentar a capacidade produtiva de agricultores familiares em situação de pobreza extrema, por meio de prestação de serviços de assistência técnica e extensão rural e financiamento da estruturação produtiva. Antes do início do programa, o Rio Grande do Sul contava com 150 mil famílias no Cadastro Único, 72 mil famílias com renda igual ou inferior a R$ 70 e 77 mil famílias rurais no Bolsa Família. O Programa de Fomento tem ajudado a reduzir estes números.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...