Criptomoedas, blockchain e o processo de tomada de decisão

O tecnólogo Fausto Vanin apresentou de forma didática e simples a tecnologia do Blockchain e o bitcoin, a moeda digital ou criptomoeda, durante a reunião-almoço promovida pela Câmara do Comércio, Indústria e Serviço de Estrela (Cacis) nesta sexta-feira, 24 de maio. Vanin trabalha há mais de três anos com a tecnologia Blockchain em diversos projetos no Brasil e exterior.

Criada em um cenário de crise econômica mundial e bolha imobiliária, o bitcoin nasceu para, entre outras coisas, prevenir o gasto duplo dos valores e aumentar a confiança das transações financeiras, levando-as para a internet. É uma nova forma de dinheiro, podendo ser visto como moeda (euro, dólar ou real, por exemplo) usada para comprar produtos e serviços, ou como ativo financeiro (ouro, ações, commodities), usado como investimento. “É uma geração de valor que passa muito pela digitalização da moeda. É um dinheiro que já nasceu na internet e não tem pátria”, explica Fausto.

No ambiente digital, os dados podem ser copiados, alterados e trocados. O blockchain foi a solução para eliminar as duas primeiras características. Dessa forma, blockchain é uma rede de negócios segura, na qual os participantes transferem itens de valor (ativos), por meio de um ledger (livro-razão) comum distribuído, do qual cada participante possui uma cópia, e cujo conteúdo está em constante sincronia com os outros.

“O fato é que, nos últimos 10 anos, a tecnologia blockchain fez com que parássemos para pensar sobre o processo de tomada de decisão, o papel do Estado na economia e sobre a nossa relação com os recursos”, afirma Vanin.

Fonte Dobro Comunicação

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...