Cotação da saca de milho alcança R$ 31

As primeiras lavouras de milho começam a ser colhidas na região e o resultado agrada os produtores. Conforme a Emater Regional de Lajeado, neste primeiro ciclo, foram cultivados 34.820 mil hectares destinados para produção de grãos, com rendimento projetado em 5.214 quilos por hectare. Outros 40,6 mil hectares foram cultivados para silagem.

Segundo o técnico regional na área de Organização Econômica, Alano Tonin, o El Niño favoreceu o cultivo. “Tivemos apenas problemas pontuais. Alguns produtores precisaram repor adubo e ureia ou até replantar pequenas áreas.” As altas temperaturas e menores índices de chuva devem influenciar pouco no resultado total, pois a maioria está em fase final de enchimento de grãos.

Caso a previsão de pouca chuva até a primeira quinzena de fevereiro se confirme, algumas áreas podem registrar perdas localizadas. “Não pode faltar umidade entre as fases de florescimento e pendoamento. Com as boas precipitações, as plantas fixaram as raízes na superfície. Com os dias de calor, logo sofrem.”

A cotação da saca chegou a R$ 31 nesta semana, com perspectiva de alcançar até R$ 40 devido à alta do dólar e das exportações. A produção gaúcha pode chegar a 5,5 milhões de toneladas, volume muito próximo as 5,6 milhões de toneladas da safra passada. A entidade projeta rendimento médio de sete mil quilos por hectare, o equivalente a 117 sacas.

A área cultivada com milho no estado na safra 2015/16 é a menor em 45 anos desde o início da série histórica. Conforme a Emater, foram plantados apenas 779,9 mil hectare, quase 10% a menos que o ano passado. Desse montante, 6% já foi colhido. Nos 350 mil hectares destinados à produção de silagem, 20% da área já foi colhida.

Bons resultados

Quem decidiu cultivar o grão é recompensado com bons preços e alta produtividade. É o caso do agricultor Waldirio Beudler, de Linha Wink, em Teutônia, que semeará 20 hectares de milho em duas etapas (safra e safrinha). Com o tempo favorável, investiu em adubação, variedades mais resistentes e alta tecnologia.

A média das primeiras lavouras colhidas alcança 120 sacas por hectare. “O excesso de umidade causou ferrugem e isso prejudicou em parte o enchimento das espigas. Mesmo assim, a rentabilidade está boa.” Em comparação à safra anterior, o preço da saca de 60 quilos aumentou 34%, sendo vendido a R$ 35.

O produtor Carlos Müller, de Estrela, se arrepende por não ter aumentado a área destinada ao cereal. “Tivemos chuva em abundância, altas temperaturas e dias de sol, ideal para a cultura. Perdi a chance de ganhar dinheiro.” Enquanto destinou 250 hectares para a soja, o milho ocupou apenas 30 hectares, cuja produtividade deve chegar a 150 sacas por hectare.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...