Corepe quer manter atual modelo de atuação no governo Sartori

Enquanto acompanha a evolução de obras e projetos de melhorias em rodovias, o Conselho Comunitário das Regiões das Rodovias Pedagiadas (Corepe) Trecho 7 tem uma certeza: não quer abrir mão do modelo de participação social na indicação de prioridades das áreas pedagiadas da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR). Sem uma certeza sobre os rumos da empresa pública criada no governo petista de Tarso Genro, na gestão do governador eleito, José Ivo Sartori (PMDB), os conselheiros querem garantir a permanência dos Corepes – criados há cerca de um ano.

Reunidos na manhã desta segunda-feira, dia 17, na Univates, para encontro do Corepe 7, representantes dos municípios da região abrangida pelas praças de pedágio de Encantado, Boa Vista do Sul e Cruzeiro do Sul definiram a próxima reunião para 27 de janeiro de 2015. Antes disso, porém, os conselheiros do Vale do Taquari e dos demais Corepes devem reunir-se com Sartori para defender a permanência dos órgãos.

De acordo com a vice-presidente do Corepe 7, Cíntia Agostini, as entidades entendem que o modelo em vigor, com a participação social, é o adequado para garantir as melhorias na região. Ela explica que o conselho é formado por diferentes representantes dos municípios – prefeitos, vereadores e cidadãos – , pessoas que circulam pelas estradas diariamente e conhecem a realidade dos locais. Por meio do Corepe, as lideranças elencam as obras prioritárias dos trechos e acompanham o andamento do trabalho da EGR. “Não abriremos mão desse modelo de participação”, enfatiza.

Investimentos

Na reunião desta segunda-feira, a EGR apresentou a situação das demandas do Corepe. Entre as obras concluídas, estão a pavimentação da rótula aberta no km 76, do Bairro Barra da Forqueta, e do acostamento no km 80 em frente ao Distrito Industrial Aimoré, em Arroio do Meio. Além de projetos que estão sendo encaminhados, seguem em andamento a restauração da ERS-129/130, entre Lajeado e Guaporé, da RSC-453, entre Estrela e Garibaldi e entre Lajeado e Venâncio Aires.

Para o próximo ano, a Lei Orçamentária Anual (LOA) do Governo do Estado prevê cerca de R$ 6 milhões em investimentos da EGR para o Vale do Taquari. Só a arrecadação entre janeiro e outubro deste ano, nas três praças de pedágio da região, é quase cinco vezes o valor previsto para investimento em obras em 2015.

O presidente da EGR, Luiz Carlos Bertotto, explica que a previsão no orçamento não se restringe os investimentos. De acordo com ele, a LOA também contempla recursos específicos para manutenção das estradas.

Além disso, Bertotto garante que todo o valor proveniente do pedágio é aplicado em obras e melhorias das vias ou para manutenção administrativa da empresa. Cerca de 65% do montante revertem em obras nas estradas e a intensão é ampliar o índice para 80%. Até outubro, as praças de Cruzeiro do Sul, Encantado e Boa Vista do Sul arrecadaram mais de R$ 28 milhões. A estimativa, de acordo com a vice-presidente do Corepe, Cíntia Agostini, é de que todo o valor seja utilizado até o fim de dezembro. “É importante que o caixa zere. É isso que queremos.”

Bertotto: “Mostramos que com o menor valor de pedágio é possível investir mais”

Embora ainda não existam definições, com a mudança de governo do Rio Grande do Sul, a expectativa é de mudanças na estrutura administrativa da EGR. Atual presidente da empresa pública, Luiz Carlos Bertotto fala sobre os avanços e desafios no período de um ano e meio em que a instituição assumiu a administração das estradas com pedágios no Rio Grande do Sul. Além disso, destaca as perspectivas na atuação da EGR nos próximos anos. “Deixamos a empresa em condições de continuar o seu trabalho”.

Qual foi o maior desafio da EGR ao assumir as estradas pedagiadas?
Luiz Carlos Bertotto: O maior desafio foi montar a empresa, fazer as licitações, os contratos, situações necessárias para podermos fazer obras e ter gente para fiscalizar. Foi o maior desafio e está superado: esse mito de que não se teria dinheiro para investir.

Como o senhor avalia o período em que a EGR esteve à frente das regiões pedagiadas?
Bertotto: Mostramos que com menor valor de pedágio é possível investir mais do que as concessionárias. Encontramos as rodovias em condições muito precárias e realizamos muitas melhorias. Realizamos a obra no Bairro Boa União (na Rota do Sol, em Estrela), o trevo de Westfália está sendo feito, tivemos obras de recuperação da pista e vamos licitar até o fim do ano a obra no trevo do Posto Peteba (ERS 129, em Encantado).

Como o senhor deixa a EGR para o próximo governo?
Bertotto: A empresa tem recursos para poder fazer obras pequenas e formas de buscar outros investimentos para as obras. Deixamos a empresa em condições de continuar o seu trabalho.

O que o senhor espera dos rumos da EGR?
Bertotto: Que siga seu caminho de cuidar das estradas estruturantes do estado, duplicar trechos como o da RSC 287, em Santa Cruz do Sul, continuar melhorando as estradas, buscar trechos que possam ser pedagiados para tirar do orçamento do Estado.

Demanda – Situação

Sinaleira no trevo de Arroio do Meio, junto à rótula de acesso à cidade e Bairro Bela Vista, no km 78.
Será realizado estudo de adequação de rótula ou implantação de semáforo na rótula, pela empresa de apoio a projetos.

Interseção no trevo do Posto Peteba Encantado – na ERS 129, acesso a ERS-332.
O projeto está em desenvolvimento pela empresa de apoio a projetos.

Rotatória de acesso ao município de Boa Vista do Sul, no km 77.
Aguardando a entrega do projeto pela prefeitura para dar encaminhamento à licitação e posterior obra.

Rotatória de acesso ao município de Boa Vista do Sul, no km 77.
O projeto está sendo realizado pela empresa de apoio a projetos.

Recuo (rua lateral), em frente ao CTG em São Rafael, Cruzeiro do Sul.
Início da obra da interseção em 20 de outubro. Previsão de término da obra para janeiro de 2015. Valor: R$ 648.926,09

Rótula de acesso ao Município de Westfália
Aguardando projeto.

Contratação do projeto executivo para a duplicação das rodovias ERS-129 e130 e RSC-453, entre Venâncio Aires e Muçum.
Termo de referência para o projeto de duplicação está sendo elaborado pela Gerência de Engenharia da EGR.

Rua lateral de acesso ao Bairro Santa Clara, em Encantado.
Será licitada junto com a obra da interseção do Posto Peteba.

Acesso ao município de Boa Vista do Sul – ligação com a rodovia, no km 74 da RSC-453, na entrada para localidade de Carolina Alta.
Está em análise pela Gerência de Engenharia, juntamente com o acesso ao município de Boa Vista do Sul, no km 77.

Pavimentação da rótula aberta, no km 76, Bairro Barra da Forqueta e Pavimentação do Acostamento, no km 80, em frente ao Distrito Industrial Aimoré, em Arroio do Meio.
Concluídas.

Restauração da ERS-129/130, no trecho entre Lajeado e Guaporé (Valor: R$ 12.788.170,85)
83,72% concluída

Restauração da RSC-453 no trecho entre Estrela e Garibaldi (Valor: R$11.062.185,10)
39,89% concluída

Restauração da RSC-453 no trecho entre Lajeado e Venâncio Aires (Valor: R$ 5.158.044,21)
63,90% concluída

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...