Cooperativas gaúchas faturam R$ 43 bilhões em 2017

O Rio Grande do Sul é um Estado cooperativista. Está na sua essência, no seu DNA. São 2,8 milhões de associados, distribuídos em 426 cooperativas. E os números divulgados hoje (4/07) durante o Tá na Mesa, da Federasul, no relatório “Expressão do Cooperativismo Gaúcho 2018” confirmam a posição de destaque do movimento.

Após a tradicional coletiva de imprensa, o presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergilio Perius, falou sobre o crescimento do setor cooperativista no Estado. Participaram do evento os diretores da Ocergs, Darci Hartmann, Irno Pretto, Margaret Garcia da Cunha, Valdir Feller e Irineo Hennemann, o presidente da Fecoagro/RS, Paulo Pires, o diretor executivo do Sicredi, Gerson Seefeld, o conselheiro de ética da Ocergs, Adelar Steffler, além de autoridades e dirigentes cooperativistas.

O balanço publicado pela Ocergs no mês de julho aponta o faturamento recorde de R$ 43 bilhões das cooperativas do RS, com incremento de 4,3% em relação ao período anterior. Em sua explanação, Perius demonstrou a força e a contribuição do cooperativismo para o desenvolvimento econômico e social do Rio Grande do Sul, destacando seu aumento no número de sócios, geração de novos empregos, investimento das cooperativas em capacitação, novos hospitais e novas agroindústrias, faturamento, sobras, dentre outros.

“Tivemos um ano de resiliência econômica, imposta pela recessão. Reconhecemos também que nossas cooperativas tomaram decisões importantes para projetar o seu futuro em um cenário difícil. Por serem sociedades constituídas por pessoas, e não por capital financeiro, as cooperativas constroem e projetam seus investimentos numa proposta de crescimento com base na mútua colaboração. É nisso que acreditamos. É isso que fortalece e sustenta o setor cooperativista”, afirmou o presidente do Sistema Ocergs- Sescoop/RS, Vergilio Perius.

Diferente do modelo capitalista, que visa lucros, as cooperativas geram sobras. E nesse indicador de desempenho, a eficiência econômica das cooperativas gaúchas também se evidencia através do crescimento de 21,97% nas sobras apuradas, atingindo o valor de R$ 1,8 bilhão. E mais do que gerar e distribuir riquezas de forma proporcional ao trabalho de cada associado, as sobras permanecem nas comunidades nas quais as cooperativas estão inseridas.

A solidez do sistema cooperativista estadual se comprova na evolução do patrimônio líquido, que alcançou R$ 14 bilhões. Em relação aos ativos, o cooperativismo gaúcho registrou um acréscimo de 13,78%. Nos últimos cinco anos houve crescimento de 94,4% no total desses ativos, que em 2017 atingiu o valor de R$ 69,3 bilhões.

Com importante papel econômico e social em suas comunidades e respectivas regiões, as cooperativas do Estado contribuem com expressiva geração de tributos. Somente em 2017, foram R$ 2,2 bilhões, uma expansão de 4,8% na geração de impostos em relação ao ano anterior.

Mesmo diante de um cenário de retração econômica, as cooperativas aumentaram seus postos de trabalho no Estado, com geração de 61,8 mil empregos diretos. Desses, 90,8% concentra-se nos ramos Agropecuário, Saúde e Crédito.

A participação da população gaúcha envolvida no cooperativismo é de 74,3%, considerando que a família de cada associado se constitui, em média, de três pessoas.

Agronegócio e agregação de valor

O ramo Agropecuário registrou um faturamento de R$ 25,6 bilhões em 2017, representando um aumento de 26,22% nos últimos cinco anos. Atualmente, 51 cooperativas do Rio Grande do Sul possuem planta agroindustrial, onde processam a matéria-prima e agregam valor em mais de 131 produtos diferentes. Nas exportações, o volume de negócios movimentado pelas cooperativas do ramo Agropecuário alcançou R$ 164,9 milhões.

Confiança dos associados no sistema cooperativista de Crédito

No que se refere ao ramo Crédito, este registrou um faturamento de R$ 8 bilhões em 2017, valor que representa um crescimento de 129,93% em um comparativo com os últimos cinco anos. As cooperativas de Crédito são responsáveis pela geração de R$ 1,2 bilhão de sobras, valor que indica uma expansão de 26,5% em relação a 2016. Na captação de recursos, o crescimento de 32,3% dos depósitos a prazo no período de 2015 a 2017 demonstra a confiança dos associados no sistema cooperativista, ampliando a credibilidade do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo.

Saúde para todos

Quanto ao ramo Saúde, em 2017 as cooperativas gaúchas registraram um faturamento de R$ 6,4 bilhões, o que representa um crescimento de 8,5% em relação a 2016. Dos 3,39 milhões de beneficiários de planos de saúde do Rio Grande do Sul (dados da ANS), 50,15% são de cooperativas gaúchas. Em relação à cobertura, as cooperativas deste ramo estão presentes em todos os municípios do Rio Grande do Sul.

Energia cooperativista        

Segundo a Confederação Nacional das Cooperativas de Infraestrutura (Infracoop), 39% da energia distribuída por cooperativas no Brasil é proveniente de 15 cooperativas do RS. Ao todo, 369 municípios do RS são atendidos pelas cooperativas de Infraestrutura.

 

Fonte Sistema Ocergs-Sescoop/RS

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...