Cooperativa Languiru certifica propriedades rurais

Considerando o trabalho constante em busca da eficiência produtiva e primando pela qualidade de seus produtos, a Cooperativa Languiru está desenvolvendo o programa Boas Práticas na Fazenda (BPF), iniciativa que orienta os produtores de leite associados a adotar procedimentos e controles que contribuem para aumentar a qualidade e a segurança do leite.

Num primeiro momento, sete propriedades foram certificadas. Em reunião no dia 13 de abril com a direção da Languiru, coordenação do Setor de Leite do Departamento Técnico e da produção da Indústria de Laticínios, os associados receberam certificados e placas de identificação, com selo que atesta que a propriedade de leite é certificada pelo programa BPF da Languiru.

“Este é um momento histórico, a Languiru é pioneira entre as cooperativas gaúchas nesta certificação das propriedades de seus associados produtores de leite. Num momento conturbado do mercado, a Languiru intensifica a busca pela profissionalização do setor e qualidade da matéria-prima”, avaliou o presidente Dirceu Bayer na reunião com os associados certificados.

Para ele, ações como essa beneficiam toda a cadeia produtiva. Além de bonificar esses produtores associados, a medida atende exigências da legislação e expectativas do mercado consumidor. “Essas propriedades certificadas pelo BPF servirão de inspiração aos demais associados da Languiru, além de agregar valor à propriedade e ao plantel de animais produtivos”, acrescentou Bayer, elogiando os envolvidos no desenvolvimento do BPF.

O vice-presidente Renato Kreimeier igualmente enalteceu a iniciativa. “O programa Boas Práticas na Fazenda é uma forma de reconhecimento e incentivo, além de contribuir para a excelente qualidade dos produtos Languiru. Ao longo dos seus 60 anos, a Languiru tem sido pioneira em inúmeros setores, e a inovação é mais uma garantia de produtos de qualidade. Tudo isso está diretamente relacionado à credibilidade da marca Languiru no mercado, à confiança e segurança que os consumidores atribuem aos nossos produtos”, disse, parabenizando os primeiros produtores que acreditaram no programa.

Propriedades de Westfália, Estrela, Poço das Antas e Arroio do Meio certificadas

O primeiro estágio do programa BPF certificou sete propriedades de leite, dos associados Airton Kaisekamp, de Linha Berlim, município de Westfália; Marco Aloisio Sulzbach, de Linha Novo Paraíso/Estrela; Rui Inácio Eidelwein, de Linha São Jacó Baixa/Estrela; Marco Oscar Zirbes, de Linha São João/Poço das Antas; Pedro R. Lenhard, de Linha São Jacó Baixa/Estrela; Marino Spellmeier, de Linha Arroio Grande/Arroio do Meio; e Carlos Osterkampf, de Linha Berlim/Westfália. A certificação é válida por um ano, quando ocorre novamente a inspeção da certificadora.

Continuidade da atividade leiteira

Acompanhado do filho Miguel Mützenberg Zirbes (18), o associado Marco Oscar Zirbes (48) elogiou a iniciativa da Languiru. Com propriedade em Linha São João, município de Poço das Antas, e associado desde 2003, a família é produtora de leite e suínos.

“Num primeiro momento ficamos preocupados, mas com o auxílio dos profissionais do Departamento Técnico da Languiru foi possível atender a todas as exigências do programa. As melhorias implementadas são fundamentais para seguirmos na atividade leiteira”, destacou o pai.

Com sucessão familiar na propriedade encaminhada, os Zirbes consideram fundamental a adoção de boas práticas. “Certamente todas as propriedades terão que se adequar ao BPF. É preciso evoluir na produção leiteira e estamos felizes em poder integrar este primeiro grupo de propriedades certificadas, a primeira do município de Poço das Antas”, acrescenta Miguel.

Para eles, as propriedades certificadas passam a servir de modelo às demais. Além de contribuir para a manutenção da qualidade da matéria-prima entregue à Indústria de Laticínios da Languiru, as melhorias implementadas também valorizam a propriedade rural e o plantel de animais.

O programa BPF

O programa de Boas Práticas na Fazenda da Cooperativa Languiru avalia 53 itens das propriedades leiteiras. Entre esses estão capacitação dos ordenhadores, destinação de dejetos, utilização de drogas veterinárias, limpeza e manutenção de equipamentos, armazenamento do leite, bem-estar animal, qualidade da água, manejo sanitário e alimentação do rebanho.

Seu propósito é providenciar padrões mínimos para as operações nas propriedades rurais que fornecem leite cru à Indústria de Laticínios da Languiru, assegurando o fornecimento de um leite com mais qualidade e segurança de forma sustentável.

“O BPF foi desenvolvido para auxiliar os associados produtores de leite na compreensão dos requisitos de boas práticas para a produção de leite. A Languiru desenvolveu um sistema de registros para todos os requisitos exigidos. A partir disso, é essencial efetuar esses registros continuamente para minimizar riscos de contaminação do leite e permitir a devida rastreabilidade”, explica o coordenador do Setor de Leite do Departamento Técnico da Languiru, Fernando Staggemeier.

Visita de implementação e avaliação

Na visita de implementação, ocorre a apresentação do programa e seu sistema ao associado. A partir disso, a propriedade é preparada para receber as visitas de avaliação, agendadas com antecedência.

Numa pré-avaliação, a propriedade passa por um checklist dos pontos de controle das diferentes áreas. Depois disso é realizada a avaliação propriamente dita, na qual os avaliadores verificam se os pontos de controle estão de acordo com os requisitos previstos no BPF e as melhorias alcançadas. Para a verificação da conformidade de cada área, o avaliador pode fazer avaliação visual, documental ou procedimental.

A partir disso o avaliador pode classificar não-conformidades encontradas, orientando para ações a serem tomadas e o tempo para cada uma delas. “Essas avaliações são uma oportunidade de aprendizado e aperfeiçoamento, com a orientação do avaliador, uma fonte de conhecimento técnico à disposição dos produtores. Uma vez aprovada na avaliação, a propriedade rural será avaliada anualmente para manutenção da aprovação”, ressalta o coordenador administrativo da Indústria de Laticínios da Languiru, Mauro Aschebrock.

Com a Certificação BPF, o produtor recebe como bonificação o acréscimo de R$ 0,02 por litro de leite no período de um ano, até a próxima auditoria externa, realizada por empresa terceirizada. Mais informações sobre o programa podem ser obtidas com o Setor de Leite do Departamento Técnico da Languiru.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...