Conselho aprova projeto de duplicação da ERS-130

Pauta da reunião do Conselho Regional dos Pedágios (Corepe) nesta terça-feira, dia 8, foi a apresentação do Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental e aprovação de liberação de recursos para Projeto Executivo da Duplicação da RS 129/130, trecho Muçum-Venâncio Aires.

O presidente da EGR, Luiz Carlos Bertotto, estima que este seja um projeto de em torno de R$ 1,5 milhão. Os recursos virão da arrecadação nas praças de pedágio da região e o projeto deverá levar em conta, por orientação dos membros do Corepe, a segurança e economicidade, além de constar no Termo de Referência que este Projeto deva considerar os outros estudos que ocorrem nos modais de transporte que interagem com a RS 129/130 neste trecho.

A partir deste momento, a EGR inicia o Termo de Referência, para na sequência licitar o Projeto da Duplicação.

Ainda, estiveram presentes representantes dos Corpos de Bombeiros Voluntários de Garibaldi, Teutônia e Bombeiros Mistos de Encantado, solicitando agilização nos convênios com a EGR. Os recursos são destinados para estrutura e pagamento dos profissionais, considerando que o trabalho destes aumentou quando da implantação da EGR e a nova dinâmica de atendimento nas rodovias estaduais.

No caso dos Bombeiros de Garibaldi e Teutônia, os convênios estão sendo viabilizados. No caso de Encantado, por se tratar de uma estrutura mista, militar e civil, deverá haver uma discussão mais ampla. O Copere irá agendar reunião com o Comando do Corpo de Bombeiros, EGR e o Conselho para encaminhar o assunto.

Também foi pauta da reunião a análise das faixas de domínio, lombadas eletrônicas e o acompanhamento das obras prioritárias para a região.

Por fim, questionado sobre o pagamento único nas praças de pedágio, aprovado pela Assembleia Legislativa, o presidente da EGR, Luiz Carlos Bertotto, afirma que o Governo do Estado está na justiça e tenta reverter a situação. No caso das praças do trecho 07, Encantado, Cruzeiro do Sul e Boa Vista do Sul, estima um decréscimo no recolhimento de em torno de 40%.

Nestas condições, os membros do Corepe aprovaram manifestação de apoio do encaminhamento do Executivo Estadual, levando-se em conta o risco de não execução das obras previstas e a possibilidade de aumento da tarifa nas condições aprovadas na Assembleia Legislativa do Estado do RS.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...