Condomínios leiteiros têm obras em andamento em quatro municípios

Ao longe, da estrada, é possível avistar as obras em execução na comunidade de Linha Tigrinho Baixo. A localidade, no interior do município de Nova Bréscia, será a primeira a receber o Projeto Associativo de Produção Leiteira da Dália Alimentos, o qual utilizará robôs na realização da ordenha.

A estrutura do pavilhão, em concreto, com dimensões de 120 x 28 metros, pode ser avistada de longe tamanha a sua imponência em meio à mata formada por araucárias e árvores nativas. O galpão será o local que abrigará os robôs que farão a ordenha das 262 vacas alojadas após a sua conclusão. As obras estão em andamento desde o mês de junho de 2014, em uma área com 13 hectares.

Batizado de “Condomínio Dei Produttoridi Latte Bréscia”, o complexo está no início das obras civis. Recentemente, foi iniciada a cobertura do telhado e a construção do piso do pavilhão principal, além da finalização dos silos e o início da fabricação da silagem.

De modo geral, o Projeto Associativo de Produção Leiteira compreende a construção de um pavilhão com ordenha robotizada e com capacidade para alojar 262 animais; terneireiras; um galpão de máquinas; quatro silos para estocar silagem; uma balança rodoviária e três residências para os funcionários.

Nova Bréscia, cujas obras estão em ritmo mais acelerado em relação aos outros três municípios que também receberão o projeto, já tem contratado um casal de funcionários que fará a administração do condomínio. O administrador rural Marcel Liotto (30) e a zootecnista Débora Bertollo (27) são os profissionais que irão atuar no empreendimento como encarregado e auxiliar da granja, respectivamente. Eles já desempenham as funções na granja e deverão contar com o auxílio de outros funcionários no futuro.

Organização e reuniões

Cada condomínio possui uma diretoria com presidente, vice-presidente e secretário. Quem preside o grupo em Nova Bréscia é o produtor e ex-conselheiro da Dália Alimentos Admir Lorenzon; em Roca Sales, o produtor e conselheiro Pasqual Bertoldi; em Arroio do Meio quem lidera o grupo é o produtor Eloir Lohmann; e, em Candelária, o associado Adriano Wollmann.

De acordo com o supervisor do Setor de Gado Leiteiro da Dália Alimentos, Fernando Oliveira de Araujo, o andamento das obras está seguindo o cronograma estipulado. Porém, segundo ele, as chuvas registradas no mês de janeiro representaram morosidade em algumas obras. “Em Encantado, por exemplo, no mês de janeiro, registramos 18 dias de chuva, o que atrapalhou um pouco o andamento dos trabalhos em municípios pela região.”

Araujo adianta, também, que a Dália Alimentos vem realizando reuniões periódicas junto aos produtores envolvidos no projeto e equipe técnica, com a finalidade de nivelar e esclarecer assuntos. “É importante essa interação entre os associados e a equipe técnica. Muitas definições são tomadas e executadas em conjunto, principalmente no que diz respeito à produção da silagem de milho, à recria de novilhas e à seleção dos animais para o novo projeto”, explica.

Roca Sales, Arroio do Meio e Candelária

Além de Nova Bréscia, os municípios de Roca Sales, Arroio do Meio e Candelária também se encontram com as obras em andamento. Roca Sales tem concluídos os quatro silos, a balança rodoviária e está em um estágio avançado da terraplanagem do pavilhão principal e do galpão de máquinas. O empreendimento está sendo construído em Linha Barão do Triunfo, cuja área tem sete hectares.

Arroio do Meio, cujo condomínio está sendo edificado na comunidade de Passo do Corvo, tem concluída a balança e os silos, que já receberam 230 toneladas de silagem. Também foram iniciadas as obras de fundação do pavilhão principal e a terraplanagem. Em Candelária, o projeto está sendo viabilizado em uma área com dez hectares, na localidade de Linha Boa Vista. Em breve será iniciada a terraplanagem.

O investimento da Dália Alimentos nos quatro empreendimentos do Projeto Associativo de Produção Leiteira será de R$ 20 milhões. O valor será utilizado para a aquisição de 12 conjuntos de robôs, sendo três para cada condomínio, além da construção das edificações e toda a infraestrutura.

Cada projeto integrará em torno 15 famílias e 262 animais, totalizando 60 famílias envolvidas diretamente na iniciativa e 1.048 animais alojados.

Para o presidente do Conselho de Administração da Dália Alimentos, Gilberto Antônio Piccinini, é uma nova era que se inicia no campo, onde o cooperativismo inova com a introdução de alta tecnologia. “Será um marco para o cooperativismo e um marco para a Dália Alimentos, já que o trabalho e a mão de obra serão reduzidos com a implantação de robôs para executar a tarefa do associado no trabalho de ordenhar os animais. Será uma inovação, um marco histórico.”

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...