Concessionárias apostam na manutenção da rede de energia

Sem grandes investimentos previstos para 2015 e sem relatarem dificuldades no atendimento à demanda do Vale do Taquari, as concessionárias de distribuição de energia da região focarão nos trabalhos de manutenção da rede neste ano.

A AES Sul, por meio de sua assessoria de imprensa, informou que vai investir R$ 14,2 milhões no Vale do Taquari em obras como substituição de postes de madeira por postes de concreto, reformas da rede elétrica, troca de equipamentos – como transformadores-, modernização nos sistemas de proteção e segurança da rede, bem como em obras para regulagem do nível de tensão. A empresa executará, ainda, serviços de manutenção, como podas e outros, visando a qualificação do fornecimento de energia elétrica.

Certel

O diretor operacional da Certel Energia, Ernani Aloísio Mallmann, diz que o foco da concessionária será a realização de investimentos pontuais para conseguir manter a qualidade da energia que chega às residências. Ele garante que a empresa não tem enfrentado dificuldades no atendimento à demanda, sendo o desafio a melhoria da rede de distribuição.

De acordo com Mallmann, o principal investimento da empresa se dará através da substituição dos alimentadores da rede elétrica, que são os circuitos que transportam a energia das subestações para os transformadores de distribuição. O investimento de R$ 650 mil se dará a partir da subestação de Lajeado e deve ser concluído em três meses. Conforme o diretor operacional, serão beneficiados cinco quilômetros de rede na região urbana do município, o que vai ampliar a capacidade de transmissão de energia da empresa.

Certaja

No caso da Certaja Energia, o objetivo é destinar R$ 6 milhões apenas para trabalhos de manutenção do sistema. Com duas subestações e tendo investido R$ 20 milhões em um sistema de transmissão de 69 kV inaugurado em 2013, o presidente Renato Martins afirma que a empresa não encontra dificuldades em atender a população. Apesar da situação dita tranquila, ele salienta que há a possibilidade de haver interrupções no caso de o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) determinar cortes como forma de enfrentar a dificuldade no atendimento à demanda do país nos momentos de pico no consumo de energia.

Subestação

De acordo com o gerente de serviços de rede da região leste da RGE, Roberto Sartori, a empresa está focada na implantação de uma subestação no município de Arvorezinha. “A obra será uma solução definitiva para a região”.

Segundo Sartori, a obra tem seu início previsto para 2016, sendo que a empresa já adquiriu uma área para receber o investimento e, no momento, trabalha na elaboração de projeto para a obtenção de licença ambiental para a instalação das linhas de transmissão. Ele observa que poucos municípios possuem uma estrutura como a prevista para Arvorezinha, que está orçada em cerca de R$ 25 milhões.

Sartori salienta que a região apresentava muitas queixas por causa de energia fraca, mas os problemas vêm sendo resolvidos aos poucos. No interior, quando há reclamações, ele explica que a empresa tem buscado instalar um transformador de energia por propriedade, sobretudo onde existem aviários e estufas elétricas voltadas para a secagem de fumo.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...