Codevat aceita quatro pedágios na BR

Líderes participam de audiências simultâneas

 

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) participa de outras duas audiências com representantes dos vales do Taquari, Caí e Botucaraí antes do dia 1º de maio, prazo final para as sugestões de mudanças no edital de concessão das rodovias federais. Os dois encontros ocorrem hoje. Um, em Brasília. Outro, na Univates, em Lajeado.

Em Brasília, a audiência inicia às 9h na sede da Empresa Pública de Logística (EPL), responsável pelo edital de licitação proposto pela ANTT. Da região, participam Cintia Agostini, presidente do Codevat, Isidoro Fornari, do Setor de Projetos Especiais de Lajeado, e pela CIC-V, Paulo Menzel, vice-presidente da Associação Brasileira de Logística (Abralog).

Cintia confirma que a possibilidade de reduzir o número de praças de pedágio é “praticamente nula”. A ANTT propôs quatro pontos de cobrança só na BR-386, em Montenegro, Fazenda Vilanova, Soledade e Tio Hugo. Os valores sugeridos inicialmente – e que devem ser reajustados já no início da concessão – são de R$ 7, R$ 11, R$ 9,50 e R$ 8,60, respectivamente.

“Está decidido as quatro praças. Vamos pleitear valores menores. Mas não tem como trabalhar com um número menor de pontos na BR, sob risco de elevar demais o custo das tarifas para garantir as obras. A princípio, ficam os postos de Montenegro e Fazenda Vilanova”, afirma Cíntia.

Dessa forma, motoristas que se dirigirem de Lajeado à Região Metropolitana, por exemplo, gastarão R$ 36 – ida e volta – com pedágios. Como contrapartida, a concessionária precisa investir na manutenção do trecho de 260 quilômetros concedido, construir vias marginais e pontes – incluindo R$ 56 milhões para uma nova passagem sobre o Rio Taquari –, e duplicar 160 quilômetros entre Lajeado e Carazinho.

As obras de duplicação devem iniciar a partir do terceiro ano de concessão, com prazo de conclusão até o 12º ano de contrato. Inicialmente, a proposta da ANTT era começar os serviços só a partir do 10o ano. Conforme Cintia, o grupo pretende solicitar mais obras ao governo federal. Entre essas, túnel interligando bairros em Estrela e melhorias nos acessos aos municípios e bairros lindeiros.

Conforme o pré-contrato divulgado pela agência nacional, o projeto prevê a concessão da BR-386 e trechos das BRs 101, 209 e 448. São 30 anos de acordo, renováveis por mais três décadas. O edital exige mais de R$ 7,8 bilhões em investimentos por parte da concessionária.
Proposta prevê bilhões em investimentos, mas região critica excesso de praças e sugestão de preços dos pedágios na 386
Hoje, às 19h, no auditório do prédio 11 da Univates, ocorre reunião coordenada pela Assembleia Legislativa. Os trabalhos serão conduzidos pelos deputados Enio Bacci (PDT), proponente do encontro, Ronaldo Santini (PTB) e Adão Villaverde (PT).

Sidnei Eckert, ex-prefeito de Arroio do Meio e atual vice-presidente do Codevat, será o representante do Vale do Taquari no encontro, que tem como objetivo debater o Programa de Exploração Rodoviária (PER) do Ministério dos Transportes. Representantes do Dnit e da ANTT, além de engenheiro especialista em transportes, farão parte da mesa oficial.

Fonte Jornal A Hora

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...