Codeter do Vale do Taquari realiza curso para capacitação de conselheiros

O Colegiado de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codeter), por meio de suas entidades, realizou entre terça e quarta-feira, dias 15 e 16, mais uma edição do curso para capacitação de conselheiros. A atividade foi realizada no Sindicato da Alimentação de Encantado e contou com a participação de cerca de 20 conselheiros da parte alta do Vale do Taquari. O objetivo do curso foi o de capacitar os envolvidos para os processos sustentáveis e para o bom funcionamento dos conselhos municipais de desenvolvimento rural (CMDRs).

Durante os dois dias de atividades foram diversas palestras, trabalhos em grupos e debates, com temas como histórico da agricultura familiar, leitura de cenários atuais, desenvolvimento rural e políticas públicas, dinâmicas de funcionamento dos CMDRs, papel e função dos conselhos e conselheiros, planejamento de ações e administração de conflitos. Um dos coordenadores da atividade, o supervisor regional da Emater/RS-Ascar, João Francisco Caíno, questionou os participantes, provocando a reflexão. “Será que sabemos do nosso papel? E será que a sociedade e os produtores sabem o que fazemos e pra quem fazemos e qual a nossa importância”, perguntou.

Um dos participantes foi o integrante do conselho do município de Anta Gorda, Carlos Sordi. Para Sordi a atividade teve importância, já que, em muitos casos, o conselheiro assume o cargo sem fazer ideia de suas atribuições. “E com a falta de preparo, o debate acerca dos temas que são de importância para os agricultores, fica prejudicado”, analisa. Com a atualização, o conselheiro passa a refletir, com boas chances de encontrar o caminho certo para as suas articulações. “Sem esquecer de que o que está em jogo é um todo e não apenas o pensamento individual”, enfatiza.

De acordo com o coordenador regional da SDR/RS, Mauro Stein, as capacitações voltadas a este público são importantes para que a ação nos conselhos municipais e no colegiado territorial seja qualificada e possibilite a melhor operacionalização das políticas públicas, a democratização destes espaços, a transparência e o controle social dos recursos públicos. “Também a inclusão social de mulheres, jovens e pessoas em situação vulnerável, por meio do uso de mecanismos eficientes de planejamento e gestão de conflitos, se torna importante nesse processo”, avalia.

A realização foi do Codeter, com o apoio com a Emater/RS-Ascar, Secretaria de Desenvolvimento Rural, pesca e Cooperativismo (SDR/RS), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag/RS).

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...