Climatologia e fertilidade do solo pautam evento da Languiru

O pavilhão social da Associação dos Funcionários da Languiru, em Teutônia, sediou, recentemente, o evento anual da Fábrica de Rações sobre a Política de Recebimento de Grãos da Cooperativa Languiru. Na ocasião foram apresentadas palestras sobre manejo e fertilidade do solo, climatologia e informações sobre a cooperativa. O evento contou com a participação de cerca de 70 pessoas, entre associados, produtores de grãos, profissionais do Departamento Técnico, direção e colaboradores da Fábrica de Rações e lojas Agrocenter.

Previsão de calor na segunda quinzena de dezembro

A meteorologista da Metsul, Estael Sias, falou de “Condições climáticas globais atuais e tendências para os próximos meses”. Segundo a profissional, ainda podemos ter períodos de temperatura abaixo da média neste final de ano, mas a segunda quinzena do mês de dezembro será de calor. “Até o final da primavera teremos grande variação de temperatura e é característica do Rio Grande do Sul ficarmos sem chuva no verão, embora para o mês de janeiro a previsão é de que tenhamos chuvas mais distribuídas. Para Teutônia e o Vale do Taquari, este mês de novembro ainda será de chuva dentro da média para o período, e em dezembro esse índice também se aproxima da média. Não acredito em seca, pois temos a projeção de chuva mais abundante em janeiro.”

Na oportunidade a meteorologista já previa alguns episódios de chuva mais intensa, como de fato registrado nos últimos dias. “Nas próximas semanas a chuva será irregular, com chance de eventos pontuais de precipitação mais forte. Temporais ainda podem ocorrer. Também teremos um final de primavera com grande variabilidade de temperatura, com predomínio de temperatura amena e ligeiramente abaixo da média, com calor esporádico.”

Para o verão, que inicia no dia 21 de dezembro, Estael falou de neutralidade climática, com chuva irregular e mal distribuída, com risco de estiagens regionalizadas. “Os modelos indicam que um dos meses da estação será de mais chuva, provavelmente janeiro terá chuva mais frequente. As ondas de calor atuam com maior frequência e intensidade a partir de dezembro. Prognósticos indicam períodos de temperatura acima da média entre fevereiro e março, coincidindo com período de menos chuva.”

Manejo e fertilidade do solo

O engenheiro agrônomo Aloisio Giovelli abordou o tema “Manejo e fertilidade do solo”, promovendo reflexão e resgate de conceitos básicos e a percepção de que a fertilidade do solo é um elemento que deve interagir com outros fatores de produção.

“Os grandes desafios da agricultura moderna são produzir mais, preservar, manter e recuperar. Precisamos potencializar a produção das nossas áreas de terra, ter eficiência na produção, preservar a matéria orgânica do solo e, nesse contexto, o plantio direto veio para salvar nossas propriedades”, defendeu Giovelli.

Apresentando dados estatísticos, o palestrante destacou que nos últimos anos a população urbana triplicou; o consumo de grãos aumentou 185% e o de carnes 433%; e a área agrícola expandiu apenas 11%.

Sobre o sistema de plantio direto, ele fez comparações com outras épocas, enaltecendo o sistema de mínima mobilização, permanente cobertura do solo e rotação de culturas. “A matéria orgânica é o indicador de qualidade do solo. A preparação de um solo sustentável é uma longa jornada”, concluiu.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...