CIC-VT entrega laudos à EGR e cobra apoio

A primeira etapa técnica para duplicação das ERSs 453, 130 e 129 – trecho entre Venâncio Aires e Muçum, está concluída. A presidência da CIC-VT apresenta nesta terça-feira, dia 25, à direção da EGR, Corepe e prefeitos os documentos relativos ao Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) e o Relatório Técnico de Viabilidade Ambiental (RTVA).

O encontro ocorre no salão de festas da Churrascaria Roda Viva, em Arroio do Meio, a partir das 11h. A principal expectativa do presidente da câmara, Oreno Ardêmio Heineck, é de que o presidente da EGR, Luiz Carlos Bertotto, anuncie o prazo para lançar edital de licitação para elaborar o projeto executivo da obra.

De acordo Heineck, a estatal firmou compromisso de continuar o processo caso a entidade finalizasse os documentos. Assim, fica a cargo da EGR o custeio do projeto executivo, estimado em R$ 4 milhões. Tal etapa leva cerca de oito meses para ser concluída. “Tendo isso e o recurso da obra, podemos colocar as máquinas nas rodovias e começar a duplicação.”

Contudo, o presidente da Comissão de Licitação da EGR, Carlos Hauschild, adianta não haver expectativa sobre o lançamento do edital. Ressalta ser responsabilidade do conselho dos pedágios avaliar a liberação do dinheiro necessário para iniciar o processo. “Todo o investimento custeado pelas praças passa por aval do Corepe.”

Pela proposta, a duplicação deve começar no trevo da ERS-453 com a ERS-287, em Venâncio Aires, e se estender por 70,4 quilômetros até o bairro Fátima, em Muçum. O percurso é o dobro da distância da duplicação da BR-386.

O estudo de viabilidade foi custeado pelos municípios lindeiros à rodovia, como Venâncio Aires, Mato Leitão, Cruzeiro do Sul, Lajeado, Arroio do Meio, Encantado e Muçum. Cada cidade teve que repassar à CIC-VT cerca de R$ 23 mil.

Corepe avalia

O sétimo e próximo encontro do Corepe ocorre dia 8 de abril, às 9h, na Acil, em Lajeado. De acordo com o presidente do grupo, Luciano Moresco, ainda não houve debate sobre o projeto de duplicação das ERSs. “Até porque tal trabalho antecede a criação do conselho. Estamos focados em obras emergenciais.”

O primeiro contato entre os integrantes do conselho com a documentação relativa à duplicação das rodovias ocorre nesta terça-feira. Para ele, a duplicação é processo fundamental para o desenvolvimento do Vale do Taquari e receberá total atenção do conselho.

Estimativa aponta a necessidade de R$ 2 milhões por quilômetro duplicado. Para o trecho inteiro, seriam mais de R$ 140 milhões, visto que o percurso a ser duplicado tem 70,4 quilômetros.

Moresco observa que será preciso buscar recursos do governo estadual, pois o dinheiro arrecadado nas praças de pedágio é insuficiente para um investimento de tal envergadura. “Poderíamos fazer uma parceria com o Estado e custearmos o projeto. Mas tudo depende de avaliação do conselho.”

Assuntos paralelos

No próximo encontro, integrantes do Corepe também se concentram em análise sobre faixa de domínio e recuo não edificante das rodovias estaduais. Conforme Moresco, a EGR adotou uma legislação federal, diferente da praticada nos últimos anos pelo Daer. Com isso, o recuo passa de quatro para 15 metros. “É uma diferença muito grande. Estamos analisando quais os impactos disso para a região.”

EGR ainda deve apresentar na reunião proposta mais consistente sobre a instalação de lombadas eletrônicas. Como a entidade não está autorizada a implantar os equipamentos, deve comprá-los e repassar para gerência da PRE ou Daer.

Recapeamento começou

Há duas semanas, a EGR assinou contrato de recuperação de pavimentos das pistas e restauro de rodovias para as praças de Encantado, Boa Vista do Sul e Cruzeiro do Sul. O consórcio vencedor da licitação – composto pela Compasul, Giovanella e Simonágio – está responsável por consertar o pavimento em 173 quilômetros das três praças. A obra custará R$ 29 milhões.

As rodovias beneficiadas são a ERS-130, trecho entre Lajeado e Guaporé, e a RSC-453, nos trechos entre Estrela e Garibaldi e entre Lajeado e Venâncio Aires. O prazo previsto no contrato é de dois anos. Nesta segunda-feira, dia 24, os trabalhos se concentraram no acesso secundário a Encantado, pelo posto Peteba.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...