CIC-VT avalia e projeta suas ações

Vale do Taquari – Em reunião realizada na Câmara de Dirigentes Lojistas, (CDL) Encantado, a Câmara de Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari (CIC-VT) complementou a discussão iniciada em fevereiro com as 19 entidades empresariais filiadas, avaliando suas ações e projetando prioridades quanto aos grandes temas de interesse classista e regional.

Energia elétrica, infraestrutura, segurança pública, trânsito, pedágios e o fortalecimento das entidades empresariais, entre outros, foram os pontos que integraram a pauta do encontro, que começou como assembleia geral e foi encerrado com debate de temas estratégicos relacionados ao desenvolvimento regional.

Energia elétrica

O presidente da Certel e vice-presidente regional da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs), Egon Hoerlle, pautou o suprimento futuro de energia elétrica em níveis que assegurem a crescente demanda. Para isso, é necessária a implantação de linha de transmissão a partir de Garibaldi, trazendo energia da hidroelétrica de Furnas, assim como a viabilização da implantação de pequenas centrais hidroelétricas previstas (PCH’s) nas bacias dos rios Taquari e Forqueta. Como o assunto já vem sendo uma das ações prioritárias da CIC-VT, a entidade vai intensificar as articulações regionais e em outros níveis para assegurar os investimentos na área, necessários ao normal suprimento de energia.

Outro ponto que mereceu atenção especial é a demora da Fepam na liberação ambiental de projetos em todos os níveis. Diversas entidades presentes relataram projetos de implantação ou de expansão de empresas que estão à espera de providências daquele órgão há meses e até anos. A própria construção de PCH’s, que asseguraria a autossuficiência de energia elétrica ao Vale do Taquari, está emperrada naquele órgão. Some-se a isto o atraso que gera na implementação dos acessos asfálticos aos municípios, atrasando o desenvolvimento econômico e social.

Prazos à Fepam

Como o problema é reincidente e de difícil solução, dando aos entes econômicos e sociais uma sensação de impotência diante dele, a CIC-VT decidiu buscar o caminho legislativo. Será iniciado amplo movimento que leve à discussão de legislação e dê à Fepam prazos para o cumprimento das suas obrigações e a decisão quanto a licenciamentos a ela encaminhados. As primeiras ações serão o envolvimento das administrações municipais regionais através das filiadas à CIC-VT, e das entidades estaduais Fiergs e Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Estado do Rio Grande do Sul (Federasul).

Comprometimento

Segundo o presidente da CIC-VT, Oreno Ardêmio Heineck, “nossa reunião foi um verdadeiro tratado de desenvolvimento regional, com visão presente e futura. O que assusta e preocupa é a falta de comprometimento dos responsáveis pela solução de questões estruturais como energia elétrica e licenciamento ambiental, vitais para o futuro não só da nossa região, mas do Estado e do País”. “Os governos estadual e federal tem a melhor das intenções nestas e noutras áreas. O problema é que nos tornamos reféns da tecnocracia. E é nesta linha que devemos direcionar nossas ações, não isoladas, mas em parceria com outras regiões e com os entes políticos”, acrescentou.

Compareceram à reunião representações de entidades empresariais de Arroio do Meio, Arvorezinha, Bom Retiro do Sul, Encantado, Estrela, Lajeado, Roca Sales, Santa Clara do Sul, Teutônia, Venâncio Aires e da Associação dos Municípios de Turismo do Vale do Taquari (Amturvales).

Assuntos estratégicos pautaram assembleia e reunião da CIC-VT

Energia elétrica:

  • Continuar assegurando melhorias com as concessionárias AES Sul e RGE;
  • Assegurar o suprimento futuro com a construção de rede de suprimento Garibaldi/Colinas e a liberação da construção de pequenas centrais hidroelétricas (PCH’s) na bacia Taquari-Antas;

Infraestrutura viária:

  • Ferrovia Norte/Sul (Ferrosul) – apoiar traçado que passe pelo Vale do Taquari;
  • Duplicação da BR-386 (Estrela/Tabaí): intensificar ações para assegurar conclusão do trecho;
  • Duplicação da BR-386 (Lajeado/Iraí): continuar integrando a comissão e apoiar a elaboração e implementação do projeto;
  • Duplicação Venâncio Aires/Muçum: continuar coordenando o processo buscando o projeto executivo junto ao Estado neste ano;
  • Porto de Estrela: otimização do uso como ferramenta de desenvolvimento regional e integração efetiva nos projetos “Hidrovia do Mercosul” e “Polo Naval do Rio Grande”;
  • Aeródromo Regional de Estrela: apoiar iniciativas do município na sua estruturação;
  • Duplicação da Via Láctea: incorporar-se aos trabalhos do município de Teutônia e da filiada CIC-Teutônia;
  • Segurança pública: • Instalação de extensão do Instituto Geral de Perícias – IGP na Região;
  •  Ações que visem aumentar a segurança regional;

Desenvolvimento Regional:

  • Copa 2014: iniciativas para aproveitá-la como alavanca de desenvolvimento e apoiar as iniciativas da Amturvales;
  • Representatividade regional: política, corporativa e classista;
  • Licenciamento ambiental pela Fepam: articular estratégias e ações que levem à agilização dos processos que hoje trancam a instalação e o desenvolvimento de empresas, assim como, obras de infraestrutura;
  • Qualificação da mão de obra: acompanhar, estimular e apoiar iniciativas;

Trânsito seguro:

  • Trabalhos e parcerias visando elevar o limite de velocidade das rodovias estaduais e federais, principalmente na BR 386 entre Lajeado e Porto Alegre;
  • Entidades empresariais associadas e não associadas: • Coordenar trabalho de fortalecimento do associativismo empresarial;
  • Estimular e apoiar o surgimento de novas entidades empresariais;
  •  Fortalecimento das entidades associadas à CIC-VT;

Pedágios:

  • Incorporar-se no trabalho liderado pelo Codevat;

Outros projetos regionais:

  • Incorporar-se aos projetos regionais liderados por outras entidades, especialmente Codevat, Amvat e Amturvales.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...