Certel substituirá lâmpadas e refrigeradores de 98 entidades da região

Reunião no Jardim Botânico, em Lajeado

Foi lançada no dia 30 de novembro, em Teutônia e Lajeado, a nova edição do Programa de Eficiência Energética da Certel. Em cumprimento à legislação do Setor Elétrico Brasileiro, o programa, que tem consultoria da empresa AFG Engenharia e Arquitetura, beneficiará 98 instituições públicas e filantrópicas. São 65 escolas (estaduais, municipais e comunitárias), 28 creches (municipais e comunitárias), três hospitais e duas clínicas geriátricas.

Entre os municípios abrangidos estão Barão, Boqueirão do Leão, Capitão, Carlos Barbosa, Forquetinha, Gramado Xavier, Igrejinha, Lajeado, Marques de Souza, Poço das Antas, Pouso Novo, Progresso, Salvador do Sul, Santa Clara do Sul, São Pedro da Serra, Sério, Travesseiro, Westfália e Teutônia. A quantidade de pessoas diretamente beneficiadas, entre estudantes, enfermos e idosos, chega a 20,5 mil.

O programa substituirá lâmpadas de baixa eficiência (incandescentes ou fluorescentes) por modelos LED (Light Emitting Diode, ou Diodo Emissor de Luz), e também trocará os refrigeradores de baixa eficiência por modelos mais eficientes com o selo Procel. Serão substituídos 112 refrigeradores e freezers e instaladas 19.693 lâmpadas.

Na ocasião do lançamento, que, pela manhã, foi realizado no auditório da Certel, em Teutônia, e à tarde, no Jardim Botânico, em Lajeado, o diretor operacional Ernani Aloísio Mallmann observou o propósito de gerar uma melhor consciência quanto ao uso racional da eletricidade. “Além de nos mobilizarmos para oferecer uma energia elétrica cada vez mais confiável, queremos também que o insumo seja aproveitado da melhor forma possível, sem desperdícios. Ganha a instituição, que obterá uma energia ainda mais barata, assim como também o meio ambiente, uma vez que a energia é gerada por meio de recursos naturais”, sinalizou.

O diretor da AFG Engenharia e Arquitetura, Rainer Büneker, frisou que, além de eficientizar as instituições, o programa visa conscientizar a comunidade escolar sobre a importância do tema no dia a dia, para que saibam como e por que utilizar a energia da melhor forma. “Sugerimos a abordagem do tema eficiência energética em sala de aula com os estudantes, em disciplinas como matemática, física, português e geografia”, sustentou.

 

Avaliações

Também presente ao lançamento, o prefeito de São Pedro da Serra, Ari Miguel Weschenfelder, desejou que o programa seja bem aproveitado nas entidades beneficiadas. “Economizar energia ajuda o bolso e tem muito a ver também com o meio ambiente. Vejo este trabalho de conscientização como muito importante, e tenho certeza de que a próxima administração dará continuidade”, afirmou. Weschenfelder disse ainda que, por gerar uma economia, o programa permitirá aos municípios investimentos maiores em outros segmentos.

Responsável pelo Departamento de Patrimônio e Obras da 3ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) de Estrela, o professor Hugo Landmeier disse que não basta as escolas terem uma boa rede elétrica se não conseguirem usá-la de forma eficiente. “A proposta apresentada atende à necessidade das escolas, de todos os ambientes públicos e até dos nossos lares, para que a energia seja melhor aproveitada e, consequentemente, contemplando um maior número de pessoas”, frisou. Landmeier enalteceu ainda que disseminar o conteúdo entre os estudantes é fundamental para multiplicar nas famílias a importância da eficiência e da economia.

Na ótica de Greicy Weschenfelder, coordenadora da 3ª CRE de Estrela, o programa é positivo e exemplar, pois além de atender uma norma da Aneel, trabalhará a educação, o grande elemento que pode transformar a sociedade. “Além dos benefícios econômicos para cada instituição envolvida, acabaremos estabelecendo uma cadeia de resultados. O estudante vai para casa, a família economiza, pode investir em outras necessidades e, assim, a sociedade aprenderá a rever a questão financeira. Desta forma, respeitamos o meio ambiente economizando e vivemos com mais qualidade”, endossou.

No entender de Carlos Spiekermann, engenheiro eletricista da Prefeitura de Lajeado, o programa beneficia Lajeado e região principalmente por estimular a economia de energia e possibilitar que mais recursos sejam aplicados em áreas como educação, saúde e nas próprias instalações elétricas. “É preciso provocar a sociedade e, principalmente, as novas gerações, de que é necessário desligar a luz quando não for necessária e usar lâmpadas mais econômicas. Não é só uma questão de melhor visualização, mas de consciência econômica e ambiental”, enfatizou.

 

Lajeadinho

Segundo Luciane Cristina Gayger Breitenbach, diretora da Escola Municipal de Ensino Fundamental Lajeadinho, de Igrejinha, o programa é importante por vir de encontro às necessidades do educandário. “Ainda usamos lâmpadas comuns, e a substituição por LED deve reduzir significativamente o consumo. Agora, levaremos essa ideia ao grupo de professores para trabalharmos a conscientização dos jovens, o que é fundamental”, avaliou.

 

Dente de Leite

Nilva Pachego Wegner, diretora da Escola de Educação Infantil Dente de Leite, de Canabarro, Teutônia, considera positivo o programa. “Já vínhamos trabalhando com os alunos a questão de poupar no que for possível, e esta iniciativa colabora também nesse sentido. Para nós, que trabalhamos com crianças de quatro meses a seis anos, é importante elas saírem dali orientadas sobre como se pode economizar energia”, pontuou.

 

Gomes Freire

“Ficamos muito felizes por sermos contemplados neste novo projeto. Dependemos de verba do governo para bancar as nossas contas de luz, e estamos sempre em contato com colegas e estudantes para tentar economizar energia”, enfatizou Clair Wiebusch Goldmeier, agente administrativa da Escola Estadual de Ensino Médio Gomes Freire de Andrade, de Languiru, Teutônia. “É algo que vem para o nosso benefício, e pretendemos disseminar este importante conteúdo com nossos professores e estudantes”, completou.

 

Tancredo Neves

Coordenador pedagógico da Escola Estadual de Ensino Fundamental Tancredo de Almeida Neves, Ariberto Magedanz entende que o programa possibilita fazer mais com menos recursos. “Nós professores, que trabalhamos para aperfeiçoar o processo ensino/aprendizagem, vemos aqui uma iniciativa que vai contribuir muito com a eficiência da nossa escola. Economizando recursos, tornamos o ambiente mais agradável e eficiente, e este é o grande objetivo. O próprio momento exige isto, pois estamos passando por turbulências em todas as áreas, e tudo que que vem somar com a redução de gastos é louvável”, avaliou Magedanz. “Na reunião, tivemos uma verdadeira aula de eficiência energética e, agora, nos cabe levar isso às escolas para que também os alunos possam aplicar em casa”, acrescentou.

 

Colégio Teutônia

“O programa vem ao encontro duma necessidade existente hoje em nível de Brasil, pois sabe-se que a demanda de fornecimento de energia está sempre no limite, especialmente em tempos de altas temperaturas”, sinalizou o professor do Colégio Teutônia, Márcio Mügge. Segundo ele, a temática da eficiência energética já faz parte do contexto do educandário, através do Centro de Treinamento em Eletricidade e dos cursos técnicos, como o de eletrotécnica. “Logo, o programa é mais um meio de levarmos o tema para a sala de aula e trabalhá-lo com nossos estudantes, melhorando o aspecto cultural da sociedade”, comentou.

 

Pedro Albino Müller

Para Vera Maria Scheibler Eichler, diretora da Escola Estadual de Ensino Médio Pedro Albino Müller, de Sério, o programa mescla as sustentabilidades ambiental e financeira em benefício das comunidades. “Atualmente, tem se enfatizado muito a necessidade de um maior respeito ao meio ambiente, e esta iniciativa atende bem esse aspecto. É uma atitude muito viável que contempla as instituições e também as famílias do nosso alunado”, mensurou, ressaltando os benefícios econômicos para a escola, que poderá dar mais ênfase a outros investimentos fundamentais à qualidade do ensino.

 

Margit Kliemann

Para Claudiomir Antônio Battisti, diretor da Escola Estadual de Ensino Médio Margit Kliemann, de Gramado Xavier, o programa é benéfico por estimular uma educação ambiental e financeira. “Consumiremos menos eletricidade, teremos mais iluminação, gastaremos menos e contribuiremos com a preservação da natureza. E o estudante tem que participar disso como um projeto de vida, pois queremos que ele aprenda a ser o gestor da sua própria realidade”, analisou. “É típico da Certel a execução de constantes melhorias para beneficiar as comunidades. Em Gramado Xavier e em toda a região, enxergamos a cooperativa sempre preocupada em oferecer as melhores condições de fornecimento, e essa é mais uma demonstração de compromisso social”, pontuou.

 

Fonte Jorn. Samuel Dickel Bünecker- Assessoria de Imprensa – CERTEL e CERTEL ENERGIA

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...