Certel Energia reune empresas que neutralizam emissão de gases poluentes

A gestão da emissão de gases de efeito estufa e a produção mais limpa foram o foco do 1º Seminário Energia Verde, promovido pela Certel Energia na manhã do dia 14 de novembro, no Grêmio Cultural e Recreativo Teutoniense, em Teutônia. Alusivo aos seis anos do programa Energia Verde em Harmonia Ambiental, que neutraliza os gases de efeito estufa de instituições privadas e públicas, por meio do plantio de árvores e do estímulo a uma postura ecológica responsável, o seminário contou com a participação de 42 das 64 empresas e entidades Carbono Neutro que participam do programa. Três destas empresas apresentaram-se em um painel, expondo os benefícios e a mudança comportamental que são reflexo do programa.

Tornocar

Para Rafael Versteg, da Tornocar Indústria e Comércio, de Teutônia, a adesão ao programa fez com que a empresa acendesse a luz de alerta para a necessidade de mudanças para diminuir o impacto das atividades industriais e administrativas no meio ambiente. “Implantamos diversas iniciativas e, ano a ano, principalmente após o levantamento e durante o preenchimento do questionário para o cálculo do volume de emissões de gases de efeito estufa, buscamos novas formas de diminuir a emissão de gases e melhorar a qualidade de vida dos colaboradores envolvidos”, afirmou.

Formallar

Jovane Krützmann, da Formallar Móveis, de Teutônia, disse que a utilização do Selo Carbono Neutro em todo material impresso, mídias e veículos da fábrica auxiliou na afirmação ambientalista e é ponto de referência em algumas negociações. “Despertou de forma clara e inegável que todos somos responsáveis pelo futuro do nosso planeta e da sobrevivência dos seres vivos e pela manutenção dos ecossistemas. Estendeu-se uma linha de compreensão em todas as etapas da produção, englobando clientes, arquitetos, produção, fornecedores e comunidade”, pontuou.

Grupo Krabbe

Conforme Julio Sulzbach, do Grupo Krabbe, de Westfália, a empresa busca amenizar os impactos ambientais que gera em decorrência de suas atividades, traçando caminhos que vão ao encontro da conservação ambiental. “Conscientes do nosso papel neste processo, assumimos como valores a prevenção da poluição, a salvaguarda dos recursos naturais e a promoção de comportamentos e atitudes éticas e socialmente responsáveis”, endossou.

Geração

O diretor de geração de energia elétrica da Certel, Julio Cesar Salecker, apresentou o case Energia Limpa. Enfatizou que a Certel Energia representa hoje aproximadamente 33% da região central do Vale do Taquari, com distribuição de 282,7 GWh. Deste montante, 41,8GWh são gerados pelas três hidrelétricas da Certel, representando 14,8%. Salecker sublinhou que as empresas do setor devem priorizar a geração limpa, como das hidrelétricas, e não termoelétricas. “Enquanto a emissão de gás carbônico das usinas termoelétricas é de mil toneladas por gigawatt/hora, a das pequenas centrais hidrelétricas é de 10 toneladas. Devemos priorizar a implantação de usinas geradoras de energia limpa e renovável, como a hidrelétrica, a biomassa, a eólica, a solar, a geotérmica, entre outras, e não as utilizadoras de recursos não-renováveis”, informou.

Produção limpa

A engenheira química do Centro Nacional de Tecnologias Limpas – CNTL – Senai/Unido/Unep, Rosele de Felippe Wittée Neetzow, proferiu palestra sobre “Produção mais limpa como ferramenta para a competitividade empresarial”. A Produção mais Limpa (PmaisL) visa à mudança de paradigmas, com redução do consumo de matéria-prima, água, energia e custos, com geração de benefícios ambientais, econômicos, qualitativos, de saúde e segurança. “É uma ferramenta de redução de custos para gestão estratégica da empresa que utiliza critérios econômicos, técnicos e ambientais. É uma ferramenta de competitividade”, assinalou.

Gestão sustentável

Em sua palestra, o presidente da Certel e da Certel Energia, Egon Édio Hoerlle, abordou sobre a gestão sustentável das empresas. Destacou que sustentabilidade é o desenvolvimento capaz de suprir as necessidades atuais da população, sem comprometer a capacidade das futuras gerações. “A gestão sustentável concilia o desenvolvimento econômico com as preocupações de setores interessados na conservação do ecossistema e da biodiversidade. Com o passar do tempo, deve alcançar os níveis de importância dos demais conceitos corporativos, passando a ter prioridade por todos os setores em todos os níveis hierárquicos das empresas”, enalteceu.

Carbono neutro

Paralelamente ao seminário, houve a entrega do Selo Carbono Neutro a dez empresas – sete que renovaram a parceria, e três que aderiram ao programa Energia Verde em Harmonia Ambiental.

Entre as que renovaram a parceria, estiveram a Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC Teutônia); Fundação Agrícola Teutônia; Gráfica Dallas; Poolseg Corretora de Seguros; Sicredi Ouro Branco; Loja Virtual da Certel; e Certel Artefatos de Cimento.

Já as que ingressaram, são o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Vales do Taquari e Rio Pardo), a Altmann Contabilidade Ltda. e a American Nutrients do Brasil Indústria e Comércio.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...