Cerca de 300 pessoas prestigiam inauguração do Centro Administrativo da Sicredi Vale do Taquari

Com discursos enfáticos, de resgate histórico e de reconhecimento às conquistas, foi oficialmente inaugurado o novo Centro Administrativo da Sicredi Vale do Taquari. A solenidade ocorreu nesta sexta-feira (11) à noite no auditório Rubem Neitzke – homenagem ao ex-presidente já falecido – com a presença de cerca de 300 pessoas, entre autoridades e convidados da região. Localizado no Bairro São Cristóvão, em Lajeado, a estrutura de 8,4 mil m² é fruto de um projeto antigo, cujo investimento total foi de R$ 32,5 milhões. É considerado um marco na trajetória, tornando-se uma referência dentro do Sistema Sicredi, prezando por aliar as melhores soluções financeiras com tecnologia e um relacionamento cada vez mais próximo dos associados e das comunidades.

Para o presidente da Sicredi Vale do Taquari, Adilson Carlos Metz, o momento especial renova o compromisso com os associados. Durante sua fala, usou três símbolos: uma laranja, uma corda e uma caixa. “Quem nunca se deparou com uma laranja bonita, mas por dentro estava azeda, amarga ou seca? Convidamos os colaboradores a ajudarem a encantar no atendimento para, assim como a laranja, ser mais doce e melhor do que aparenta ser”. Com a corda em mãos, a associou com a vida das pessoas. “No cooperativismo são muitas as cordinhas, na nossa mais de 50 mil entrelaçadas. E cada um de nós precisa fazer a sua diferença, dar o seu melhor”. O desfecho com a caixa serviu para fazer uma analogia à antiga Caixinha, que deu origem a Sicredi Vale do Taquari. “Nela não está depositado apenas dinheiro, estão histórias de vida, sonhos de um mundo melhor. Ajudem a cuidar dela para continuarmos desenvolvendo a nossa região. Temos certeza que um mundo melhor a gente faz juntos”, concluiu.

Diretor executivo, Luiz Mario Leite Berbigier resgatou os principais momentos e não escondeu a emoção pelo feito. Ele lembrou as dificuldades financeiras enfrentadas em 1993, quando o cenário era de patrimônio negativo e apenas quatro sócios ainda tinham movimentação financeira. “Nenhum de nós, por mais otimista que fosse, imaginaria que 23 anos e 9 meses depois nós estaríamos entregando um empreendimento dessa envergadura. Atingimos nosso objetivo e finalizamos esse empreendimento, que não é de Lajeado, mas dos 11 municípios de nossa párea de atuação”.

O prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo destacou o novo polo de comércio e serviços criado no local que agora também sedia a cooperativa de crédito. Ao fazer elogios aos empreendedores, também comentou a designação informal à Avenida Piraí, por alguns chamada de avenida das cooperativas, e por outros de Paulistinha, numa referência à Avenida Paulista em São Paulo, que é o centro nacional dos negócios. Por fim, conclamou: “convido todos a investir no Vale e com certeza procurar a Sicredi para buscar os recursos necessários”.

Dirigentes de cooperativas

Prestigiado por lideranças do sistema cooperativo nacional, o evento ganhou ainda mais notoriedade. Na opinião do diretor executivo de produtos e negócios do Banco Cooperativo Sicredi, Cidmar Stoffel, “a Sicredi Vale do Taquari está levando, ao fim e ao cabo, o que é a essência da cooperativa, que é captar o recurso na região onde atua e reinvestir na comunidade”. Ele ainda salientou números do sistema, o qual já é composto 3,5 milhões de associados e administra R$ 72 bilhões no Brasil. O presidente do Sicredi Sul-Sudeste, Fernando Dall’ Agnese, complementou lembrando que o Sistema Sicredi está numa crescente. “A cada cinco anos a gente dobra de tamanho. Nessa velocidade vamos conseguir fazer parte do desenvolvimento não só do Estado, mas do Brasil também, através do cooperativismo de crédito”.

Representando todas as coirmãs, o presidente da Organização das Cooperativas do Rio Grande do Sul, Vergílio Perius ressaltou que o DNA das cooperativas de crédito são as pessoas e a comunidade. “A riqueza não é extraída daqui, permanece no seio da comunidade, multiplicando riquezas. Esse é o sentido das cooperativas em geral, beneficiar as comunidades e delas não arrancar recursos, mas somar para a comunidade crescer mais”.

O encerramento foi marcado pelo descerramento simbólico da fita inaugural e visitação, além de um coquetel de confraternização.

 

Fonte Simone Rockenbach

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...