Cerca de 150 pessoas participam do primeiro Almoço Empresarial da CIC Teutônia em 2017

No dia 29 de março a CIC Teutônia realizou a primeira edição de 2017 do seu tradicional Almoço Empresarial. O evento ocorreu no Auditório 03 da entidade e contou com a participação de cerca de 150 pessoas. O palestrante foi o contador Celso Luft, vice-presidente de Relações com os Profissionais do Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul (CRC/RS) e diretor do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis (Sescon/RS). Luft abordou o tema “Riscos da atividade empresarial frente ao cruzamento de informações fiscais, econômicas e financeiras”.

Com a apresentação de diversos exemplos práticos, o palestrante trouxe dados fornecidos pela Receita Federal. “Essa troca de informações com os profissionais contábeis e empresários é muito importante. Precisamos falar a mesma linguagem para que os órgãos de fiscalização recebam as informações de forma correta. Hoje, se o empresário não trouxer a nota fiscal para o contador, o profissional contábil tem acesso ao arquivo eletrônico, conseguimos identificar e fazer o cruzamento de informações”, afirmou.
Num exemplo de evolução da tecnologia e precisão nas informações, Luft citou a datilografia, há 20 anos, e hoje, o uso de smartphones. “Ganhamos em agilidade e, a partir disso, também surgiu o Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), iniciando com a Nota Fiscal Eletrônica”, explicou.

E-Financeira, Sinter, nota fiscal, redes sociais

Luft explanou sobe a E-Financeira, em vigor desde dezembro 2015, que classificou como “um marco na história de cruzamento de informações, com declaração entregue semestralmente, contendo qualquer movimentação da Pessoa Física acima de R$ 2 mil e da Pessoa Jurídica acima de R$ 6 mil. A base de dados da Receita Federal recebe o total dessas movimentações”. A partir da E-Financeira, bancos, seguradoras, corretoras de valores, distribuidores de títulos e valores mobiliários, administradores de consórcios e entidade de previdência complementar devem entregar semestralmente declarações de movimentação.
O Sistema Nacional de Gestão de Informações Territoriais (Sinter) é outra novidade. “A cada registro os órgãos responsáveis enviarão um extrato eletrônico ao Sinter, com dados sobre localização, planta, área construída, padrão do imóvel, valor venal do IPTU, do ITBI, alvará de construção e habite-se. Cada imóvel urbano ou rural será identificado por um código que será a ‘identidade’ dentro do sistema. Com isso, há o controle de compra e venda entre estados para ganhos de capital e cobrança de impostos”, resumiu Luft.
Ele ainda alertou os empresários para vendas com cartão de débito ou crédito. “Qualquer venda no cartão equivale a uma nota fiscal. Não podemos sair vendendo no cartão e declarar um dado incompatível. Aparecendo a omissão, vai chamar a atenção para outras coisas. É preciso se organizar, o que caiu na conta bancária, é nota fiscal”, orientou.
Luft também chamou a atenção de contadores e empresários para o uso da internet como fonte de informações por parte da Receita Federal. “As redes sociais fornecem muitas informações, e a Receita não se preocupa apenas com a ostentação. Também observam, por exemplo, empresas de laranja, comparando resultado de empresas e o que seus proprietários postam nas redes sociais, o padrão de vida com a rentabilidade. Se antes o auditor ia até às empresas e pedia os documentos dos últimos cinco anos, hoje ele inicia a fiscalização e já está sabendo muito mais do que nós, como proprietários da empresa, de forma muito mais detalhada”, anunciou.
O palestrante alertou para o cruzamento de informações. “Para se ter uma ideia, o Imposto de Renda Pessoa Física conta com 165 itens de cruzamento de dados, que geram relatório com total de receitas e total de despesas, e sua variação. Um termo novo que usamos na contabilidade é a ‘mineração de dados’, tanto na Pessoa Jurídica como na Pessoa Física, analisando comportamentos e distorções fora da curva normal de operação. O cruzamento eletrônico requer nossa atenção, procure melhorar seus procedimentos”, observou, agradecendo pela oportunidade de conversar com profissionais da área contábil e empresários.

Expressiva participação

O tesoureiro da CIC, Gustavo Luiz Schnoremberger, que também é delegado regional do CRC/RS Teutônia, agradeceu a participação de profissionais da área contábil e empresários. “Depois de inúmeras visitas aos escritórios de contabilidade associados à CIC, conseguimos a participação de expressivo número de profissionais, que igualmente deram a sua contribuição convidando os seus clientes para este momento. O fruto desse trabalho conjunto foi a lotação máxima do nosso auditório, valorizando o empenho para a vinda do palestrante Celso Luft, com quem vínhamos negociando desde o final de 2016. Ele já havia abordado esse tema em Gramado no ano passado, reunindo mais de 300 empresários, com avaliação positiva, o que nos motivou a buscar contato e trazê-lo também para esta conversa com contadores e empresários de Teutônia e região”, finalizou.

Próximo Almoço Empresarial aborda segurança pública

No dia 06 de abril a CIC Teutônia realiza a segunda edição do Almoço Empresarial de 2017. Tendo por local o Auditório 03 da entidade e início às 11h45min, o tema abordado será “Segurança pública: direitos e responsabilidades da sociedade”. O palestrante será o jornalista e jurista Cláudio Brito.
O investimento é de R$ 39,00 por participante associado à CIC e de R$ 49,00 para os demais interessados. Mais informações e inscrições pelo fone (51) 3762-1233 ou pelo e-mail comercial@cicteutonia.com.br

Fonte Leandro Augusto Hamester

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...