CDL Lajeado – Palestrantes compartilham histórias de superação e dão conselhos para jovens empresários

O 6º Encontro Estadual de Jovens Empresários, realizado nesta quarta-feira (8) à noite no Teatro da Univates, reforçou sua importância para a capacitação e orientação de quem deseja empreender. A plateia de cerca de 800 pessoas assistiu a três palestras que apresentaram informações, experiências e modelos de trabalho de empresas de diferentes áreas de atuação e portes. O evento foi promovido pelo Núcleo Jovem da CDL Lajeado, com a correalização da Univates, sendo uma oportunidade para o compartilhamento de histórias de superação e muitas dicas para quem quer vencer nos negócios. “Somos um grupo que troca ideias e no qual todos aprendem juntos”, declarou o presidente da CDL Jovem na abertura do evento, Maurício Zanon. A coordenação da atividade esteve a cargo do vice-presidente de Capacitação, Carlos Haas Oliveira.

“Nós temos paixão por vestir janelas”. Foi com essa afirmação que a empresária Andrea Feine, da Andrea Feine Cortinas e Persianas, conduziu a primeira explanação da noite. Ela falou da infância humilde e dos desafios enfrentados até estruturar a sua empresa, há 17 anos.  Citou erros e acertos, os quais serviram de base para conduzir e fortalecer a empresa no mercado. Um dos momentos mais difíceis foi em 2012. “Nosso faturamento era incrível, mas isso não significa que o negócio ia bem. Nessa fase desconstruímos duas verdades: não basta ter os números, precisa gestão; e a importância da descentralização”, alertou. Foi o momento para parar, repensar e reformular a organização. Andrea contou sobre a estratégia de então contratar profissionais qualificados, realizar convenções bianuais, organizar processos e se convenceu que centralizar e fazer tudo limita o crescimento. “Para uma empresa crescer, precisa fazer gestão, e não se envolver em todo o operacional. Isso não é fácil, mas necessário”. Por fim, Andrea afirmou que benchmark é tudo. A empresária viajou por 24 países e partilhou com a plateia inspirações internacionais que foram aplicadas na nova sede, instalada num prédio de 1,6 mil metros quadrados em Lajeado.

“Para vocês verem que uma empresa muitas vezes começa com histórias emocionantes e de muita luta”. A frase de Mathias Bertram resume a trajetória da Lisaruth Delícias Caseiras, a padaria familiar localizada à beira da RS-287 em Santa Cruz do Sul, da qual ele é sócio proprietário. Do pequeno empreendimento criado há 20 anos em um espaço de 48 metros quadrados, hoje a empresa ocupa um prédio de dois andares de cerca de 1,3 mil metros quadrados, comercializa 320 produtos e tem no buffet a quilo seu carro-chefe. “Ninguém achava que ia dar certo. A gente desafiou as leis da física. E deu”, comentou. Enaltecendo a preocupação com a satisfação do cliente e as práticas de ações sustentáveis, ele ressaltou os cuidados que se tem com a qualidade de vida dos funcionários, clientes e comunidade: “O que a gente tem de mais valioso é a credibilidade que conquistamos ao longo dos anos”. Para ele, o segredo do sucesso está na equipe e na visão que se tem dela: “Gente se trata como gente”. Bertram finalizou: “Somos verdadeiros heróis. No momento em que o país está, é muito difícil ser empresário. Mas é gratificante”.

Antes de criar o Reclame Aqui, Maurício Vargas quebrou três empresas. A declaração feita sem titubear pelo empresário, logo no início de sua palestra, arrancou risos e foi seguida de aplausos associados à sua exitosa história à frente do site que diariamente registra o acesso de mais de 700 mil pessoas.  Embora tenha surgido com o propósito de externas reclamações, Vargas salientou que o Reclame Aqui se tornou uma fonte confiável do histórico de comportamento de marcas e organizações, no qual 95% dos acessos são de pessoas pesquisando a reputação das empresas.

“Tem muita gente que ainda acha que o nosso site é problema, mas afirmo: é solução”, declarou. Vargas falou sobre a importância de dar sempre respostas aos consumidores. “Isso fica registrado e é levado em consideração por um número cada vez maior de pessoas que nos  consulta antes de comprar, sem falar na geração de jovens, os quais 85% pesquisam na internet sempre que querem adquirir algo”. Vargas é defensor de um empreendedorismo que não acumule riquezas e sustenta o que motiva a sua empresa, que é um negócio voltado à melhoria da vida das pessoas.

 

Fonte Simone Rockenbach

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...