Capacitação para produtores objetiva aumento do lucro no setor primário

Agricultor, avicultor, suinocultor e pecuarista Blasio Gräf (54) cogitou vender os animais de sua propriedade de 13 hectares, em Arroio do Meio, quando a crise da Doux Frangosul afetou suas finanças. Mas como o dinheiro não seria o suficiente para pagar os fornecedores, o jeito foi renegociar a dívida com o banco.

Na última terça-feira, dia 29, Gräf foi o anfitrião do encontro de 23 famílias do programa Produção Integrada em Sistema Agropecuário (Pisa) do município, que integra a ação nacional Juntos para Competir. Após oito meses de capacitação com técnicos de universidades federais, o produtor otimizou os resultados, diminuiu a mão de obra e equilibrou as contas. Arrendou mais 25 hectares na localidade de Forqueta Baixa.

“Queremos aumentar a renda, mesmo que se diminua a produção”, afirma o consultor técnico Marcelo Irala, que trouxe experiência da região das Missões, pioneira no programa. Segundo ele, melhorar a qualidade de vida no campo é a única forma de tornar possível a sucessão familiar. “Primeiro precisamos quebrar paradigmas. Para muitos, mudar é difícil.”

No encontro, foram debatidas as melhores formas de manejo no campo, principalmente na formação de pastagens, na correta alimentação do gado e na utilização dos dejetos. Entre as ações, estão o plantio direto, a diversificação de culturas e a agricultura de baixo carbono. Produtores elogiam os resultados, mas afirmam que ainda há falta de investimentos no interior. Reclamam não haver cercas ou acessos de qualidade.

Leite

A maioria dos produtores que participam do Pisa é do setor leiteiro. O coordenador do projeto no Estado, Paulo César de Faccio Carvalho, afirma que o programa diminui o custo de produção de leite em torno de 20% já no primeiro ano. Com a melhor utilização dos recursos disponíveis na propriedade, a produção cresce entre 50% e 100%.

O secretário municipal de Agricultura, Paulo Roberto Heck, afirma que o maior objetivo é fazer como que o produtor rural repasse a informações para os vizinhos, fortalecendo a comunidade. Mas garante que mais famílias serão integradas no programa caso haja necessidade. Afirma que os investimentos na qualificação do manejo representam um aumento de dez mil litros diários no município em relação a 2010.

Juntos para Competir é uma ação da Universidade Federal do Paraná (UFP); Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs); Sebrae; Farsul; Senar e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Benefícios em 600 propriedades

Com duração de três anos, o programa Juntos para Competir trabalha gestão empresarial e tecnológica, agregação de valor ao produto com posicionamentos para a competitividade. Os segmentos prioritários são bovinocultura de leite e corte, suinocultura, vitivinicultura, fruticultura, ovinocultura, agroindústria familiar e agricultura. Quem realiza os acompanhamentos são agrônomos, zootecnistas, veterinários, engenheiros florestais, biólogos, etc.

Cerca de 600 propriedades são beneficiadas no Estado. No Vale do Taquari, participam os municípios de Arroio do Meio, Arvorezinha, Travesseiro e Anta Gorda.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...