Bom público prestigia 6º Seminário do Leite de Arroio do Meio

Um público de cerca de 200 pessoas participou, na última sexta-feira, dia 15, do 6º Seminário do Leite de Arroio do Meio. A atividade, organizada pela Emater/RS-Ascar e pela Secretaria Municipal de Agricultura, foi realizada no Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Querência do Arroio do Meio, na localidade de Barra do Forqueta. Na ocasião foram realizadas duas palestras na parte da manhã. A primeira, ministrada pelo médico veterinário da Emater/RS-Ascar, Ricardo Gutierrez, teve como tema “Melhoramento genético do rebanho leiteiro”.

Em sua apresentação, Gutierrez afirmou ser fundamental a observação de algumas características como estatura, força, profundidade corporal, ângulo e largura de garupa, pernas e úberes do animal e que têm importância para o melhoramento genético do rebanho. “O que o bovinocultor deve ter em mente é que a genética é um investimento e não um custo”, ressalta. Assim, de acordo com o veterinário, é fundamental que o bovinocultor de leite se aproprie dessas informações, sabendo avaliar a qualidade de um animal reprodutor.

O evento teve sequência com o painel “Perspectivas da cadeia do leite”, ministrado pelo presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag/RS), Carlos Joel da Silva. Na parte da tarde, foi realizada atividade de campo com os temas, solo e produção de alimentos, cria e recria de novilhas e terneiras, ordenha e higiene do leite e gestão da propriedade. Na ocasião também houve exposição e orientações sobre máquinas agrícolas e degustação de produtos lácteos oferecidos por indústrias de laticínios do Vale do Taquari.

Um dos participantes foi o bovinocultor de leite, Vanderlei Biasibetti, da localidade de Arroio Grande. Com 12 vacas em lactação, produzindo cerca de 150 litros por dia, Biasibetti relata que voltou há um ano e meio para o campo. “Trabalhava como caminhoneiro, mas não aguentava mais a rotina de estar na estrada, longe da família”, conta. Com a venda da casa que possuía no centro da cidade, conseguiu o valor necessário para comprar uma propriedade completa com vacas e suínos, além de frutas e hortaliças.

Com apenas três vacas no começo, o produtor logo viu na bovinocultura um bom caminho para ampliar os negócios. Não à toa, já pensa em aumentar o rebanho. “Tenho espaço para 20 vacas e para uma produção diária de 500 litros”, garante. Satisfeito, se diz feliz com a troca. “Hoje posso trabalhar perto da minha família (a filha tem apenas três anos), tenho qualidade de vida, comida a vontade, além de fazer o meu horário”, ressalta. Sobre as capacitações, mesmo com pouco tempo na atividade, Biasibetti já diz ter uma boa experiência. “Costumo participar de todas que posso, já que considero importante o aperfeiçoamento”, observa.

Outro produtor que se diz contente com a atividade, é o jovem Jovane da Rosa. Morador da localidade de Barro Preto, em Pouso Novo, o bovinocultor explica que a família, há até pouco tempo, era produtora de fumo. “Mas era um serviço muito sofrido e de risco, já que uma safra ruim poderia representar uma grande perda”, diz. Atualmente, a família possui oito vacas que produzem cerca de 100 litros de leite por dia. Mas a ideia é aumentar, de acordo com o jovem. “Até por isso a participação em cursos e capacitações, especialmente para mim que sou novo, quanto mais aprender sobre a área, mais coisas pra colocar em prática”, avalia.

Pensando também no crescimento da produção, a família já fez investimentos em melhoramento genético e produção de pastagens. O próximo passo é a construção de uma sala de ordenha. “Mas tudo tem que ser feito com muita calma, sem dar um passo maior que a perna”, salienta Jovane. Contente com a produção, o jovem se diz satisfeito em poder contar com qualidade de vida e uma renda mensal, sobrando mais tempo de diversificar os cultivos. “Para comer temos de tudo, frutas, verduras, legumes, feijão, batata, além de ter galinhas e porcos na propriedade”, diz.

Para o gerente adjunto da Emater/RS-Ascar, Diego Barden dos Santos, a satisfação dos produtores estabelece diálogo com aquilo que a Instituição mais preza: estar ao lado dos agricultores familiares em seu dia a dia. “Por isso a importância desse trabalho continuado, que possibilita um melhor atendimento aos produtores”, afirmou. O evento contou com a presença de produtores dos municípios de Travesseiro e Pouso Novo, além de Arroio do Meio que, atualmente, é o terceiro maior produtor de leite do Vale do Taquari, com 65 mil litros ao dia.

Outras autoridades, como o prefeito de Arroio do Meio, Sidnei Eckert; secretário de Agricultura de Arroio do Meio, Paulo Heck; e coordenador regional da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), Rudimar Müller, também estiveram presentes na atividade.

 

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...