Balanço patrimonial é tema do quinto encontro com jovens produtores da Languiru

No dia 17 de abril, cerca de 70 jovens associados e filhos de associados participaram do quinto encontro do Programa de Sucessão Familiar da Cooperativa Languiru. O evento, coordenado pelo consultor em gestão de empreendimentos rurais e em pesquisa, Lucildo Ahlert, ocorreu no pavilhão social da Associação dos Funcionários da Languiru, e teve a participação do vice-presidente da Languiru, Renato Kreimeier.

O conteúdo programático esteve dividido em três focos distintos. Num primeiro momento foi abordado “Balanço Patrimonial e suas denominações”, quando os participantes conheceram aspectos relativos à definição de ativos e passivos circulantes e não circulantes. O segundo tema trabalhado foi “Balanço Patrimonial da propriedade rural”, quando a turma recebeu instruções sobre como gerir a propriedade rural, levando em conta a administração de terras, máquinas, produção e divisão de resultados. Por fim foi destacado o tema “Indicadores Financeiros”, quando os jovens ouviram explicações sobre os principais indicadores financeiros de patrimônio, como Capital Circulante Líquido (CCL), Índice de Liquidez Corrente (ILC), Índice de Liquidez Geral (ILG), Grau de Endividamento de Patrimônio (GEP) e Grau de Imobilização (GI).

Conforme Ahlert, o balanço patrimonial é considerado uma das principais demonstrações contábeis de uma empresa e deve ser produzido de maneira precisa e rigorosa. “O balanço patrimonial é a demonstração contábil destinada a evidenciar, qualitativa e quantitativamente, numa determinada data, a posição patrimonial e financeira de determinada entidade ou propriedade”, complementou.

Aula de contabilidade

O quinto encontro também contou com a participação da contadora da Languiru, Carla Gregory, profissional experiente e que atua no Escritório Central da cooperativa, que ministrou uma aula de contabilidade aos jovens. “A contabilidade tem como principal finalidade assegurar o controle do patrimônio, gerar informações estruturadas que possam ser úteis para seus usuários internos e externos, orientando a administração das empresas no exercício de suas funções”, explicou.

Carla acrescentou que as principais funções da contabilidade são registrar, organizar, demonstrar, analisar e acompanhar as modificações do patrimônio em virtude da atividade econômica ou social que a empresa exerce. “A contabilidade mantém relacionamentos com áreas próximas, como a administração, o direito, a economia, a sociologia, sendo que essas ciências oferecem subsídios para os estudos contábeis, assim como a ciência contábil oferece sua contribuição a essas áreas”, considerou.

A contadora também auxiliou os alunos a interpretarem a estrutura do balanço patrimonial, ressaltando que esse deve ser produzido de forma precisa e rigorosa. Quanto aos conceitos do balanço patrimonial, Carla salientou que é a demonstração contábil destinada a evidenciar, qualitativa e quantitativamente, numa determinada data, a posição patrimonial e financeira da empresa. “O balanço patrimonial é composto pelo ativo, passivo e patrimônio líquido. O ativo compreende os bens, os direitos e as demais aplicações de recursos controlados pela entidade, capazes de gerar benefícios econômicos futuros. O passivo compreende as origens de recursos representados pelas obrigações para com terceiros. Já o patrimônio líquido compreende os recursos próprios da entidade, e seu valor é a diferença positiva entre o valor do Ativo e o valor do Passivo”, elucidou.

Troca de ideias

Após as explanações, a programação seguiu com discussão de balanços patrimoniais em grupos, autoavaliação, sorteio de kits de produtos e finalizou com almoço de confraternização. O próximo encontro será no dia 15 de maio, às 9h30min, na Associação dos Funcionários da Languiru.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...