Assembleias regionais reúnem quadro social da Dália Alimentos em oito regiões

Os resultados positivos de 2013 e as projeções para o ano em exercício estão sendo apresentadas aos associados da Dália Alimentos durante as assembleias regionais. Os encontros tiveram início no dia 12 e prosseguem até o dia 27 de fevereiro, nas oito regiões de atuação e abrangência da cooperativa no Estado.

Nesta semana, reúnem-se nas assembleias associados das regiões de Serafina Corrêa, no dia 18; Encantado, dia 19; Progresso, dia 20; Anta Gorda, dia 25; Arroio do Meio, dia 26; e Candelária, dia 27. Na última semana, as regiões de Júlio de Castilhos e Guaporé foram as que receberam os primeiros encontros.

O presidente do Conselho de Administração, Gilberto Antônio Piccinini, fez a abertura, dando boas-vindas aos associados e enfatizando a pauta da reunião, dividida em duas etapas. O presidente Executivo, Carlos Alberto de Figueiredo Freitas, apresentou a primeira fase. Satisfeito com os resultados obtidos em 2013, faz um balanço financeiro da cooperativa, apresentando relatórios e o desempenho contábil da empresa.

Em 2013, segundo Freitas, a Dália Alimentos registrou sobra líquida na ordem dos R$ 45 milhões. Ele atribui os bons resultados e o desempenho satisfatório ao mercado, que foi favorável. “Os custos não foram elevados e as vendas foram muito boas”, comenta.

Após as destinações legais e estatutárias, será levado à Assembleia Geral Ordinária (AGO), no dia 14 de março, o equivalente a R$ 14 milhões. Deste montante, conforme proposta do Conselho de Administração, 50% do valor será distribuído em dinheiro na conta corrente e os outros 50% capitalizado na conta capital de cada associado. “A cooperativa teve um ano especular, foi o melhor ano dos últimos tempos para a Dália”, definiu Freitas, adiantando que, para 2014, a projeção estipulada de sobras líquidas é de R$ 34 milhões.

Na segunda etapa das assembleias, Piccinini se deteve a tratar do aspecto social da Dália Alimentos. Lembrou que a cooperativa está presente em 127 municípios e que, em 2013, o quadro social cresceu em 5%. Destacou a produção de suínos e leite, com volume de produção e número de associados, e enfatizou os programas sociais e eventos realizados pela cooperativa no ano que passou, informando, também, a agenda programada para 2014.

Destacou o encontro de mulheres, no mês de maio; o encontro de jovens, em dezembro; e o encontro de delegados; cujos eventos se repetem ao longo deste ano. Lembrou o início do Projeto Sucessão Rural que, no próximo mês, inicia-se com a participação de 20 novos jovens divididos em duas turmas. Piccinini falou da inauguração do Dália Supermercados, em novembro passado, no município de Arroio do Meio, a da primeira etapa da fábrica de leites especiais, concluída em meados de 2013, junto à planta de leite em pó em Arroio do Meio.

Deu ênfase especial ao Projeto Social Criança Dália, fazendo um apelo e convidando os associados a contribuírem, em qualquer quantia, com a iniciativa. Hoje, dos 3.830 associados, apenas 441 colaboram com a iniciativa social. “Queremos fortalecer a arrecadação para o Criança Dália, um projeto tão importante que auxilia e beneficia causas sociais voltadas às crianças.”

Assembleia Geral Ordinária

Piccinini lembrou a data da Assembleia Geral Ordinária (AGO) da Dália Alimentos, agendada para o dia 14 de março, no Clube Comercial de Encantado, com início às 10h. Deverão participar os 146 delegados responsáveis por definir os três membros titulares e três efetivos do novo Conselho Fiscal, eleito no dia.

É aguardada a presença do secretário de Agricultura do Estado, Luiz Fernando Mainardi; e do presidente da Organização das Cooperativas do Rio Grande do Sul (Ocergs), Vergílio Perius. Ambos devem se fazer presente no encontro a fim de conhecer o sistema de funcionamento da cooperativa e a destinação das sobras, onde os funcionários e associados participam.

Frigorífico de aves e linha de achocolatados

Durante as assembleias, os presidentes falaram a respeito da implantação do frigorífico de aves, cujo projeto da Dália Alimentos encontra-se em fase inicial. De acordo com Freitas, o plano está em fase de elaboração e a estimativa é de que o frigorífico, que ainda contemplará incubatório, fábrica de rações e abatedouro, comece a operar em 2016. “Estamos analisando o projeto e fazendo contato com alguns municípios. Ainda está em fase inicial, mas deverá ser realidade dentro de dois anos”, estima Freitas.

Piccinini complementou a informação, confirmando que o investimento será de R$ 50 milhões e que será necessário escolher um município-sede que disponibilize também mão de obra. “Hoje, nossa principal dificuldade é em relação à mão de obra e isso não poderá ser empecilho para o novo projeto.”

Os critérios para definição da cidade que receberá o empreendimento de aves, segundo ele, serão logística, fácil acesso, proximidade com os criadores, área com espaço para os três investimentos (incubatório, fábrica de rações e abatedouro), incentivo dos municípios e mão de obra disponível.

Freitas, na continuidade, falou a respeito da fábrica de leite em pó, em Arroio do Meio. A planta foi inaugurada em 2012 e demandou a aplicação de R$ 60 milhões. Deste valor, cerca de 40% já foi quitado. “Damos essa notícia com bastante entusiasmo e alegria, pois nem dois anos se passaram da inauguração e já quitamos boa parte do financiamento”, disse. Para meados deste ano, a fábrica, que além de leite em pó e leites especiais, terá uma linha destinada a achocolatados.

Participação em família

Sempre que a cooperativa anuncia as datas das assembleias, o pai Antônio (66) e os filhos Márcio (30) e Giovani Tomazoni (23) reservam o dia para se deslocarem até a cidade e ouvir às explanações da direção da empresa. Antônio e Márcio são associados à cooperativa e atuam de forma conjunta na propriedade, junto a toda família.

Em Linha Sétima, interior do município de Vista Alegre do Prata – cuja cidade pertence à região de Guaporé e sediou uma das assembleias – eles desenvolvem a atividade suinícola, com 400 cabeças em terminação; e leiteira, com 42 animais em ordenha e uma produção de 1,1 mil litros de leite/dia. Além do trio masculino, também executam as funções no meio rural a esposa de Antônio, Nilva (55), e a filha Daiana (28).

De acordo com Márcio, que já ocupou a função de delegado e conselheiro fiscal da Dália Alimentos, as assembleias são oportunidades para o associado ficar a par do desenvolvimento e das ações da cooperativa. “Só não vem toda a família, porque a propriedade não pode ficar sem ninguém. Caso contrário, todos estariam aqui prestigiando”, considera.

Giovani ressalta que a Dália vive um bom momento e que a família sente-se orgulhosa em fazer parte de uma empresa bem estruturada e sólida como a cooperativa. “Nas assembleias a gente fica sabendo dos números e das novidades. Estamos bastante satisfeitos e contentes com a situação atual da cooperativa. Só tende a melhorar, cada vez mais”, pontuou.

Agenda | Assembleias Regionais

Data | Região | Local | Horário: 10h
Dia 18 – Serafina Corrêa – Auditório da Câmara Municipal de Vereadores
Dia 19 – Encantado – Clube Comercial
Dia 20 – Progresso – Salão Paroquial
Dia 25 – Anta Gorda – Clube Carlos Gomes
Dia 26 – Arroio do Meio – CTG Querência
Dia 27 – Candelária – Associação Comercial e Industrial de Candelária (Acic)

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...