Assembleia Legislativa do RS homenageia ex-empregado da Emater/RS-Ascar Nilo Cortez

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul concedeu, na noite da segunda-feira, dia 9, na Câmara de Vereadores de Lajeado, a medalha da 53ª Legislatura ao ex-empregado da Emater/RS-Ascar, Nilo Kern Cortez. Na presença de familiares, amigos e ex-colegas dos vales do Taquari e Rio Pardo, recebeu a distinção das mãos do deputado estadual Heitor Schuch, o proponente da honraria. Com mais de 37 anos dedicados ao trabalho de extensão rural, Cortez será um nome sempre lembrado, especialmente pelos agricultores familiares da região, com os quais estava diretamente envolvido.

Emocionado, o agrônomo relacionou os cinco pilares os quais considera fundamentais em sua trajetória: a educação recebida, a rotina de trabalho com os produtores rurais, as vivências na Emater/RS-Ascar, o acolhimento dos meios de comunicação e o carinho da família. Para Cortez, a honraria recebida é resultado de uma mescla de todos esses aspectos. “É fundamental ressaltar que uma conquista como esta não se faz sozinho”, lembrou. “Assim, reparto a medalha com todos os que estiveram presentes de alguma forma em minha vida”, salientou.

O deputado estadual Heitor Schuch justificou a homenagem, que é concedida pela Assembleia Legislativa por solicitação dos deputados a personalidades com relevantes serviços prestados a sociedade gaúcha. “Acreditamos ser muito mais significativa a entrega de uma distinção como esta para o homenageado ainda em vida”, afirmou. Ao conceder a medalha da 53ª Legislatura a Cortez, disse que a história da agricultura familiar nos vales do Taquari e do Rio Pardo se confunde com a do agrônomo. “Um relato desses em livro, certamente terá diversos capítulos com o nome Cortez nele”, garantiu.

Para o gerente regional da Emater/RS-Ascar, Luiz Bernardi, Cortez sempre se pautou pela seriedade, pela dedicação e pelo comprometimento, sendo responsável, inclusive pela organização do trabalho relacionado às agroindústrias familiares. “Hoje temos dezenas de agroindústrias formalizadas na região, muitas delas tendo o trabalho do Nilo por trás”, observa. Bernardi também valoriza o ex-empregado pela ética com que embasava a sua atuação. “Era um excelente colega, que ‘lutava’ de maneira permanente pela extensão rural”, finaliza.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...