Articulação de Agroecologia do VT realiza reunião em Arroio do Meio

A Articulação de Agroecologia do Vale do Taquari (AAVT), por meio de suas entidades, realizou reunião na última quinta-feira, dia 17, na Casa de Cultura da localidade de Barra do Forqueta, em Arroio do Meio. Cerca de 50 pessoas debateram a respeito de temas como, a produção de morangos em bancada, unidades demonstrativas em agroecologia instaladas no município, lançamento do vídeo “O veneno está na mesa 2” e certificação de produtores, além de terem sido realizados relatos sobre a situação do programa “Lajeado no caminho da sustentabilidade” e pesquisa da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs).

As reuniões do grupo, que são periódicas, visam a estimular ações em agroecologia, com vistas a promover a produção agrícola sustentável, livre de agroquímicos. A cada encontro também são realizadas atividades de campo, com o objetivo de demonstrar na prática as atividades debatidas pelo grupo. Na ocasião foram visitadas as propriedades das produtoras Helena Weizenmann e Laidi Weinzenmann. Ambas fazem parte do Grupo de Produtores Ecologistas de Forqueta, vendendo, na feira que ocorre todos os sábados em Arroio do Meio, vegetais e frutíferas livres de agrotóxicos.

Para Helena, que começou a produzir olerícolas no início dos anos 2000, é um orgulho fazer parte do grupo de produtores agroecológicos. “No começo tivemos muitos problemas e perdas na produção, mas com insistência conseguimos fazer parte dessa construção”, avalia. Hoje a agricultora, que produz, entre outras, rúcula, chicória, alface, beterraba e morangos, afirma não conseguir dar conta da demanda já que, além da feira, vende os vegetais para as escolas do município e para o mercado do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR).

Sentimento parecido é o de Laidi. Sempre com um sorriso o rosto, a agricultora afirma que a sua especialidade são as alfaces dos tipos crespa, roxa e americana. Produtora de agroecológicos desde 2003, Laidi garante que, se pudesse, voltaria no tempo para iniciar antes o processo. “Além de nós não nos envolvermos com agroquímicos, é muito satisfatório saber que estamos entregando um produto livre de qualquer contaminante”, explica. De acordo com a produtora a procura por esse tipo de alimentos tem aumentado. “Às vezes a feira ainda nem abriu e já há fila de espera”, afirma.

Para o assistente técnico regional em Agricultura de Base Ecológica da Emater/RS-Ascar, Marcos José Schäfer, ainda há um certo tabu a respeito das dificuldades enfrentadas pelos agricultores familiares na hora de produzir olerícolas e frutíferas livres de agroquímicos. Para Schäfer, em muitos casos, são medidas simples embasadas na proteção, manutenção e manejo adequados do solo e da biodiversidade ou mesmo o manejo ecológico de parasitas, que garantem o sucesso do método. “E um alimento livre de contaminantes significa mais qualidade na mesa de quem consome, com mais vitaminas, proteínas e minerais”, diz.

A próxima reunião da AAVT será realizada no dia 21 de agosto, na localidade de Batovira, em Progresso, com início previsto para as 14h. Na ocasião será realizada atividade técnica relacionada ao controle biológico da mosca das frutas. Também estão previstas três atividades que serão realizadas na Univates, todas envolvendo alunos da Instituição. A primeira ocorre no dia 21 de agosto, com o tema “Transgênicos”. No dia 23 de setembro a discussão envolverá o documentário “O Veneno está na mesa 2”. No dia 7 de outubro será a vez dos agricultores conversarem com os acadêmicos sobre a produção de base ecológica. O local e o horário de cada evento serão definidos em breve.

A AAVT é uma rede de entidades que apoiam a Agroecologia no Vale do Taquari. São entidades de representação dos produtores, institutos de pesquisa e ensino e organizações de apoio aos agricultores e consumidores. Atualmente, integram a entidade a Associação Agroindustrial de Forquetinha (Agrofor), Associação de Mulheres Colinenses (AMC), Associação Ecobé, Centro de Apoio ao Pequeno Agricultor (Capa), Comissão Pastoral da Terra (CPT), Emater/RS-Ascar, Grupo de Produtores Ecologistas de Forqueta, secretarias de Agricultura de Arroio do Meio e Colinas, STR, Uergs e Univates.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...