Aprendizes concluem formação que prepara para o mercado de trabalho

Inédito Programa Aprendiz Cooperativo do Campo forma primeira turma do Brasil

 

“Todos nós temos uma essência, mas não nascemos conhecendo essa essência. Por isso, devemos buscá-la ao longo da vida, e isso acontece a partir de escolhas e abraçando oportunidades. O Aprendiz Cooperativo do Campo foi uma oportunidade que eu abracei e permitiu que eu descobrisse a minha essência. Isso não é qualquer curso que vai proporcionar. Me tornei uma pessoa mais responsável e levo isso para a vida. Assumir nossas responsabilidades gera frutos.” As palavras são da estudante Alessandra Laís Wünsch, que integrou a primeira turma no país do Programa Aprendiz Cooperativo do Campo, iniciativa do sistema Ocergs-Sescoop/RS, do Colégio Teutônia e da Cooperativa Languiru, cuja formatura ocorreu no dia 17 de agosto, em solenidade realizada no educandário teutoniense.
Na oportunidade foram entregues os certificados de conclusão dos cursos de Assistente Administrativo, com estudantes cotizados da Lactalis do Brasil; Eletrotécnica Básica, com estudantes cotizados das cooperativas Languiru e Certel; e do inédito e pioneiro Aprendiz Cooperativo do Campo, para estudantes cotizados da Languiru.
A noite contou com homenagens e despedidas emocionadas. Falando em nome dos demais aprendizes, a estudante Laura Lehdermann agradeceu pela oportunidade. “Concluímos um pequeno, porém, muito importante degrau em nossas vidas. Mais que um degrau, a oportunidade que as cooperativas Languiru e Certel e a empresa Lactalis nos deram foi o alicerce de uma grande obra em construção, o início de nossa vida profissional. Encerramos esta etapa com mais sabedoria, conhecimento e responsabilidade, percebendo que, antes de mais nada, a preparação é a chave do sucesso”, frisou, agradecendo às empresas cotizadoras, ao sistema Ocergs-Sescoop/RS, ao Colégio Teutônia e aos professores.

Homenagem

A professora e gestora dos programas de aprendizagem do Colégio Teutônia, Maitê Schuhmann, se disse lisonjeada em poder participar desse processo. “Trabalhar com vocês foi um prazer, são três turmas de estudantes que vão para o mercado de trabalho mais preparados. Sigam, confiantes e alegres, na carreira que escolherem, sempre colocando em primeiro lugar a ética”, manifestou-se.
Em seguida, a turma do Aprendiz Cooperativo do Campo quebrou o protocolo e homenageou a professora, com a entrega de flores e um quadro com a foto do grupo. Enalteceram o apoio, a dedicação e a motivação ao longo do curso, mencionando especialmente a constituição de cooperativa escolar.

Futuro do cooperativismo

O presidente da Certel, Erineo Henemann, classificou a turma de formandos como o futuro do cooperativismo. “Esta é uma maneira de darmos continuidade ao espírito cooperativista entre os jovens, num processo em que estudantes e cooperativas aprendem muito com o convívio. Estamos formando cidadãos, numa experiência de aprendizado diferenciada para o ingresso no mercado de trabalho”, disse.
Nesta mesma linha, o presidente da Languiru, Dirceu Bayer, lembrou o pioneirismo do Aprendiz Cooperativo do Campo. “Um dos diferenciais da nossa região está na formação de pessoas, por meio de parcerias sólidas. Percebe-se que a turma levou o projeto adiante, com muita responsabilidade. O cooperativismo é algo que apaixona, baseado na transparência e na igualdade social, trabalhando pelo desenvolvimento e pela sustentabilidade das comunidades onde está inserido”, manifestou-se.
O presidente da Organização das Cooperativas do Estado do Rio Grande do Sul e Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Ocergs-Sescoop/RS), Vergilio Perius, se disse realizado. “Há sete anos vínhamos trabalhando para que o Aprendiz Cooperativo se afirmasse e, hoje, já são mais de 25 mil estudantes formados”, revelou. Dirigindo-se especialmente à turma do Aprendiz Cooperativo do Campo, adiantou que irá levar os nomes dos 25 participantes da primeira turma ao Ministério do Trabalho e Emprego. “Em 2011 tivemos a primeira audiência em Brasília e, depois dessa, foram mais algumas em cinco viagens à capital federal. Persistimos, pois sabíamos do potencial do projeto e agora contamos com a primeira turma formada no curso de Aprendiz Cooperativo do Campo. Vocês são os pioneiros nesta formação específica, são a prova de que devíamos seguir acreditando nesse projeto, são a realização de um sonho”, recordou, aconselhando que os jovens permaneçam no meio rural. “Temos qualidade de vida no campo e precisamos trabalhar a sucessão familiar. Busquem a profissionalização e apliquem esse conhecimento no campo. Somente assim daremos continuidade à atividade rural, produzindo alimentos para o mundo”, finalizou.

Desenvolvimento pessoal e profissional

A supervisora de Recursos Humanos da Lactalis do Brasil, Cheila Gaspareto Carnaúba, lembrou o início da parceria da empresa com o Colégio Teutônia a partir de 2016 para desenvolvimento do programa de aprendizagem. “Acreditamos muito no desenvolvimento pessoal e profissional dos nossos colaboradores, valorizando as pessoas. Atribuímos a evolução da empresa à dedicação e à especialização, proposta defendida pelo programa Jovem Aprendiz. Ações como esta são muito importantes para introduzir esses novos profissionais no mercado de trabalho, com uma nova carga de aprendizado e experiência”, afirmou, parabenizando a primeira turma de cotizados por meio da parceria entre Lactalis e Colégio Teutônia.
Nesse sentido, a coordenadora da Educação Profissional do Colégio Teutônia, Francine Caumo, ainda apresentou os cursos técnicos oferecidos pelo educandário, “uma oportunidade de aperfeiçoamento em diferentes áreas”.

Conhecimento

O secretário da Educação de Teutônia, Paulo Brust, creditou os índices de desenvolvimento do município aos investimentos em educação. “O programa Aprendiz Cooperativo é muito mais que uma oportunidade, é uma ação de justiça social, possibilitando o acesso ao conhecimento e aplicação prática no mercado. Tanto os jovens, quanto as empresas, todos saem melhores desse processo de aprendizagem. Investir em conhecimento é um grande acerto, conhecimento é riqueza”, avaliou.
O diretor do Colégio Teutônia, Jonas Rückert, agradeceu pelas parcerias entre o educandário, empresas, cooperativas, entidades e gestão pública. “Na vida aprendemos a dar e a receber, assim como esses estudantes, que receberam a oportunidade de participar do Aprendiz e assumem o compromisso de fazer a diferença na sociedade”, encerrou.

 

Fonte l

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...