Almoço Empresarial – Pesquisa apresenta diferentes perfis do gaúcho

Evento promovido pela CIC Teutônia destaca estudo do Grupo RBS

Os diferentes perfis do gaúcho pautaram palestra do primeiro Almoço Empresarial de 2019 promovido pela CIC Teutônia no dia 11 de abril. O evento trouxe dados de pesquisa desenvolvida entre agosto e setembro de 2017 pelo Grupo RBS e Consumoteca. A palestrante foi a administradora Maria Thereza Alves Luce, responsável pela área de Inteligência de Mercado do Grupo RBS. O projeto “Persona: quem são e o que pensam os gaúchos” procura entender o comportamento, os valores, a expectativa de futuro e os hábitos de consumo de quem vive no Rio Grande do Sul.

Iniciativa da Diretoria do Comércio da CIC e com o patrocínio de Univates, Certel, Colégio Teutônia, Evoluir Gestão Empresarial, Global-Eco Consultoria Ambiental, Cooperativa Languiru, Poolseg, Rivin Moda e Decoração e Sicredi, o vice-reitor da Universidade do Vale do Taquari, Carlos Cândido da Silva Cyrne, no cargo de reitor, falou em nome dos patrocinadores.

Cinco perfis

A pesquisa ouviu 1,8 mil pessoas de diferentes regiões do Estado. Também consultou outras 28 pessoas em entrevistas mais aprofundadas, além do envolvimento de seis especialistas em cultura e comportamento. A partir disso, foram identificados cinco perfis pelo nível de apego às tradições locais: “Gaúcho fiel (35%)”, “Gaúcho raiz (14%)”, “Gaúcho não praticante (24%)”, “Gaúcho exportação (14%)” e “Gaúcho desapegado (13%)”. Com a compilação das informações, constatou-se que idade não diferencia os perfis extremos, mas estão baseados em fatores como escolaridade, renda e estrutura familiar.

“Quebra-se um primeiro mito de que os mais jovens não valorizam as tradições. Podemos afirmar que as nossas tradições estão vivas por um bom tempo, influenciando na vida da nossa população”, frisou Maria Thereza, reafirmando que “nem todo gaúcho é igual”.

Números

Entre diferentes números e percentuais, a pesquisa revelou que 73% dos gaúchos valorizam as tradições. “Na região Centro Oriental do Rio Grande do Sul, o percentual de pessoas que valorizam as tradições é de aproximadamente 86%. A região Metropolitana é a menos tradicional, enquanto que a Campanha é a mais tradicional”, enumerou a palestrante.

Outra constatação é de que os gaúchos são menos conservadores do que se imagina, o que interfere nos hábitos de consumo e perfil empreendedor. “A experiência de uma viagem é o maior sonho de consumo dos gaúchos, sendo mais desejada do que bens de alto valor. Para alcançar esse objetivo, 55% estão aguardando sua condição financeira melhorar. Paralelamente a isso, quando a situação econômica for mais favorável, 72% mudariam o padrão de consumo: 39% comprariam produtos e serviços que não compram hoje; 13% comprariam marcas melhores; e 12% comprariam maior quantidade”, revelou Maria Thereza.

Além disso, os gaúchos compram mais pela internet que o restante do país, principalmente eletrônicos e eletrodomésticos. “Os principais valores do gaúcho hoje são a família, a educação e o trabalho. As marcas precisam criar empatia com a população, que prefere as marcas locais. Temos muitas coisas boas e bonitas para mostrar, e o gaúcho quer ver isso. Entender como pensa e o que sente um povo é a chave para criar uma conexão efetiva com ele”, finalizou.

A próxima edição do Almoço Empresarial da CIC Teutônia está agendada para o dia 24 de maio, numa parceria com a Associação Pró-Desenvolvimento de Languiru, quando o tema trabalhado será o projeto de saneamento básico de Teutônia.

Fonte Leandro Augusto Hamester

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...