Almoço Empresarial CIC e Sincovat destacam implantação da REDESIM em Teutônia

Consultor do Sebrae, Tiago Guerra, apresentou o processo de implantação da REDESIM

 

No dia 20 de setembro a CIC Teutônia promoveu mais uma edição do seu tradicional Almoço Empresarial, nesta oportunidade com a parceria do Sindicato dos Contadores e Técnicos em Contabilidade do Vale do Taquari (Sincovat), juntamente com a Delegacia Regional do Conselho Regional de Contabilidade (CRC-RS) em Teutônia, numa ação planejada pela Diretoria de Serviços da CIC.

O evento ocorreu no Auditório 03 da CIC e foi a terceira Reunião Descentralizada de 2016 organizada pelo Sincovat, dirigida aos associados do Sindicato, com o objetivo de promover a integração da classe contábil. O tema do encontro destacou a “Implantação da REDESIM e soluções do Sebrae”.

Doações do Imposto de Renda

Nas boas-vindas, o delegado regional do CRC-RS e tesoureiro da CIC, Gustavo Schnoremberger, reafirmou o valor das parcerias e ações de descentralização do Sincovat, além de apresentar números da Campanha de Doações para o Fundo da Criança e do Adolescente. “Os profissionais contábeis de Teutônia estão incentivando a destinação do Imposto de Renda das Pessoas Físicas ao Fundo e, em 2015, foi possível arrecadar em torno de R$ 26 mil. No atual exercício, foram arrecadados cerca de R$ 39 mil, recurso que ingressou diretamente na conta corrente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Teutônia (COMDICA). Esse recurso está à disposição do Município para ampliar projetos de cunho social”, anunciou, ressaltando, porém, que “não podemos nos dar como satisfeitos, pois temos um grande potencial para atingir valores ainda mais expressivos”.

O presidente da CIC, Renato Scheffler, agradeceu a parceria para organização do evento. A presidente da Câmara de Vereadores de Teutônia, Mareli Lerner Vogel, também falou da importância do trabalho de diálogo e de aproximação da comunidade com os profissionais da área contábil.

O prefeito de Teutônia, Renato Altmann, falou da parceria na implantação da REDESIM em Teutônia. “O Poder Público deve sempre estar ao lado dos empresários, e neste sentido precisa ser facilitador para o desenvolvimento desse projeto, que deve facilitar a atividade de empreendedores locais na abertura de novos negócios”, frisou.

Atuação do Sincovat e do profissional contábil

O presidente do Sincovat, Rui Mallmann, falou da atuação do Sincovat e da importância do profissional contábil. “A partir das orientações dos contadores, as empresas são constituídas, se desenvolvem e criam receita para o município”, apontou

No que se refere ao trabalho do Sindicato da categoria, anunciou a realização de quatro reuniões descentralizadas no próximo ano, e falou de iniciativa pioneira no Rio Grande do Sul de entrega solene da Carteirinha do Contador, que habilita o profissional de Contabilidade a desempenhar a sua atividade. “Serão duas edições anuais, nos meses de abril e setembro, uma forma de valorizar a nossa profissão, de mostrar à sociedade quem são os novos profissionais. Também os profissionais sentem-se valorizados com isso”, justificou.

Nesse contexto, Mallmann também falou de ações de inserção dos estudantes universitários na entidade, da oferta de cursos de atualização profissional, de extensão e de especialização para a categoria, ações sociais com a arrecadação de brinquedos, alimento , material de higiene e agasalhos para doação, convênios com empresas, ações de marketing, organização de eventos e atividades de integração entre os profissionais.

Sobre a atuação do profissional contábil, Mallmann avaliou que devem ser “menos de fiscalização e mais de gestão dos clientes. Afinal de contas, quase não nos sobra tempo para atender a todos os órgãos governamentais e obrigações acessórias que os clientes precisam disponibilizar a esses órgãos, algumas delas até em duplicidade”. Ciente das responsabilidades dos contadores, frisou que os profissionais devem ser mais protagonistas. “Em alguns momentos, a categoria precisa ser consultada para auxiliar na construção de novas normas e leis. Hoje, tudo vem de ‘cima para baixo’ e precisamos fazer. Nossa sugestão é de que antes de colocar medidas em práticas, discutam com a nossa classe. Estamos aqui para ajudar, temos essa expertise com relação a qualquer matéria relacionada ao setor. Tenho certeza de que os contadores terão muito boa vontade em ajudar”, concluiu.

Apoio do Sebrae

O gestor do Projeto de Atendimento Individual Sebrae Vales do Taquari e Rio Pardo, Clóvis Alberto Glesse, apresentou o trabalho da entidade no apoio aos empreendedores. “O Sebrae quer estar sempre mais próximo do empreendedor, procurando auxiliar para o seu desenvolvimento. Com a união de esforços, podemos encontrar as melhores soluções para superar as adversidades que enfrentamos na economia atual. Nesse contexto, agradecemos ao Poder Público pela receptividade aos pleitos que dizem respeito às políticas públicas e visam melhorar o ambiente para micro e pequenas empresas, bem como dos microempreendedores individuais”, frisou.

“O Sebrae busca acompanhar os empreendedores, atendendo seus anseios profissionais. Podemos ser um parceiro interessante das empresas e contadores, com demandas que podem ser atendidas pelos especialistas do Sebrae. Contamos com especialistas e rede de consultores em diversas áreas”, sugeriu, apresentando mapa de atuação.

O técnico de atendimento o Sebrae, Ademir José Ewald, também falou do novo modelo de atendimento da entidade, que visa a presença do técnico do Sebrae nas empresas para diagnosticar possíveis ações de auxílio. “Estamos aqui para ajudar o empreendedor a melhorar a gestão do seu negócio, gerando emprego, renda e desenvolvendo a economia”, frisou, enaltecendo a importância de momentos de interação do Sebrae com os profissionais contábeis.

REDESIM

O consultor do Sebrae, Tiago Guerra, apresentou o processo de implantação da REDESIM, que visa auxiliar no nascimento de novas pessoas jurídicas. “Com esse projeto, buscamos simplificar e desburocratizar o processo de registro e licenciamento de empresas, envolvendo todos os órgãos responsáveis por tais procedimentos, no âmbito da União, Estado e municípios. A Lei sugere o registro de uma empresa em cinco dias”, explicou.

Nesse contexto, Guerra trouxe dado estatístico negativo para o Brasil. Do total de 189 países pesquisados, estamos na 174º posição no tópico abertura de empresas. “No Brasil, leva-se em média 83 dias para a abertura de uma empresa, enquanto que a média para América Latina e Caribe são 29,4 dias. Com esta imagem negativa propagada pelo mundo, a Rede Simples iniciou implantação de nova legislação ainda em 2007, procurando agilizar esse processo. Com um processo não integrado, o empreendedor acaba desistindo no meio do caminho e decide ficar na informalidade ao invés de formalizar sua empresa. A REDESIM propõe a reestruturação desse processo”, explicou.

Atualmente, 57 municípios estão integrados à REDESIM, que totalizam 32% das MPEs do Rio Grande do Sul. Os municípios integrados já responderam por mais de 18 mil consultas de viabilidades e cerca de 4.000 formalizações ocorreram no novo sistema. Nos Vales do Taquari e Rio Pardo, existem 11 municípios no projeto, sendo sete já integrados (Estrela, Lajeado, Venâncio Aires, Santa Cruz do Sul, Encantado, Taquari e Encruzilhada do Sul) e quatro em processos de integração (Teutônia, Vera Cruz, Cachoeira do Sul e Arroio do Meio). “A REDESIM atinge, no momento, 27.816 MPEs, que corresponde a 51% das MPEs existentes na Região. Ao final de 2016, espera-se atingir 37.386 MPEs, que representam 70% das Micro e Pequenas Empresas dos Vales do Taquari e Rio Pardo. Com essa nova proposta de formalização de empresas, quem circula é a informação, e não o empreendedor. Com a credibilidade, o trabalho é agilizado, facilitando a liberação de alvarás”, finalizou.

Fonte Leandro Augusto Hamester- AI CIC Teutônia

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...