Apresentação

O agronegócio é um dos propulsores da economia do Vale do Taquari. A região tem o segundo maior nível de produtividade rural do Rio Grande do Sul – R$ 408.507,00 por quilômetro quadrado (FEE 2013). Tal capacidade também reflete no Valor Adicionado Bruto do setor agropecuário da região, que é de R$ 900.541 (FEE 2010), representando em torno de 17% da economia. O setor desenvolve-se através da agricultura familiar, estruturada em minifúndios com tamanho médio de 13 hectares, com diversidade de culturas (milho, feijão, uva, fumo, erva-mate, trigo, flores, arroz, dentre outras) e criações (gado leiteiro, de corte, suínos e frangos), estas em regime confinado e na maioria das vezes organizadas em sistema integrado com a indústria de alimentos. Quanto ao rebanho da agricultura registra-se 250.765 bovinos, 40.995.024 galos, frangos, pintos e 933.315 suínos (FEE 2010).

No total, a região possui uma população rural de 85.731 pessoas (FEE 2010) espalhadas por 37.972 propriedades rurais (FEE 2013). Os bons resultados do agronegócio são essenciais para que a indústria – fortemente marcada pela agroindustrialização, com os frigoríficos e laticínios –, o comércio e os serviços também cresçam. Estudo da Univates realizado em 2006, mas cujos números relativos servem de referência, mostrou que 82% do Valor Adicionado Fiscal dos 36 municípios do Vale do Taquari têm origem no agronegócio e consequente reflexo nas economias municipais.

O leite é uma das três cadeias produtivas mais importantes do agronegócio do Vale do Taquari, o qual tem a terceira maior bacia leiteira do Estado. Entre 2011 e 2013 a produção acumulou 364,4 milhões de litros de leite (IBGE 2013). As outras duas – suínos e frangos – também têm representatividade expressiva no contexto econômico regional, estadual e nacional. A região caracteriza-se pelo ciclo completo que detém na maioria dos produtos agropecuários que produz, com destaque para leite, aves, suínos e erva mate: desde a produção da matéria-prima até a industrialização com alto índice de agregação de valor nos respectivos derivados fabricados.