Agronegócio leva ao topo do RS a venda de caminhões em Lajeado

As revendas de caminhões fecharam o ano de 2014 acima daquilo que esperavam como venda de fim de ano. A procura por modelos de três eixos, também conhecida como “truck”, levou o município à liderança no ranking de venda nos meses de novembro e dezembro.

De acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores no Rio Grande do Sul (Fenabrave-RS), Lajeado ficou na frente de Porto Alegre em dezembro, ao fechar o mês com 51 unidades vendidas, contra 44 na Capital, que historicamente se destaca neste segmento.

Luiz Barbieri, que é gerente de uma das revendas da cidade, explica que até o fim do ano passado o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ajudou a acelerar os negócios. A taxa de juros a 6% ao ano, associada à possibilidade de financiamento em 100% do veículo, atraiu os compradores. “Nós oferecemos também a possibilidade de troca. Um caminhão usado, no valor de R$ 80 mil, se transformou em capital de giro na mão do investidor”, explica Barbieri.

A revenda que ele gerencia comprava o caminhão usado e pagava em dinheiro para quem realizasse a operação até dezembro. “Agora essa transação não é mais possível. A taxa de juros subiu para 9,5% e o financiamento via BNDES exige uma entrada de 30% do valor do caminhão”, detalha.

A força do campo

O caminhão mais vendido em Lajeado é considerado de médio porte, especial para o agronegócio. Suportando uma carga de até 15 toneladas, esse tipo de veículo é utilizado para transportar a produção primária e os insumos para o campo.

Cléo Weiand, gerente de outra empresa, atribui o sucesso ao agronegócio. Forte no Vale do Taquari, o setor primário investiu no transporte, ao modernizar a frota com a compra de novos caminhões. “O ano de 2014 foi muito bom para a venda de caminhões e isso é um reflexo do desempenho do campo, que de forma geral foi positivo”, analisa Weiand.

Na estrada da produção

A posição geográfica de Lajeado é outra situação que depõe a favor do incremento nas vendas de caminhões. Por ser cortado pela BR-386, a “Estrada da Produção”, o município é rota obrigatória do transporte de cargas.

Em Lajeado estão também empresas que trabalham com o segmento de transporte de carga. “Por estar próximo da Região Metropolitana e não tão longe das rotas com cidades vizinhas, Lajeado é ponto de partida para o transporte rodoviário”, complementa Weiand.

Ranking de vendas em novembro/14

Porto Alegre – 46 caminhões – 5,9%
Lajeado – 41 caminhões – 4,9%
Caxias do Sul – 35 caminhões – 4,2%
Nova Santa Rita – 27 caminhões – 3,2%
Passo Fundo – 24 caminhões – 2,9%

Ranking de vendas em dezembro/14

Lajeado – 51 caminhões – 5,2%
Caxias do Sul – 50 caminhões – 5,1%
Porto Alegre – 44 caminhões – 4,5%
Nova Santa Rita – 41 caminhões – 4,2%
Canoas – 38 caminhões – 3,9%

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...