Aeródromo retoma voos no fim do ano

O município inicia reformas no Aeródromo Regional, interditado desde 2006. Pousos e decolagens de aviões de pequeno porte podem ser liberados até o fim do ano, de acordo com o prefeito Carlos Rafael Mallmann.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) aprovou o Plano de Zoneamento Aéreo, enviado pelo Executivo. Em 2014, o engenheiro Jorge Tadiello, o mesmo responsável pela interdição, detalhou em documento os problemas e como resolvê-los: correção no cercamento, demarcação da pista, e retirada da rede elétrica.

Na última quinta-feira, dia 30 de abril, a Secretaria de Obras instalou bases de concreto ao longo das pista, que servirão para demarcação. Ainda neste ano, o cercamento do aeródromo será reformado. Outra etapa importante cabe à AES Sul. A concessionária inicia a retirada da rede de alta tensão e projeta concluir o trabalho até julho. São cinco postes de concreto próximos à área de aterrissagem e manobra.

Quando o espaço for readequado, nova vistoria de engenheiros será realizada. A partir daí, a Anac decide se libera o aeródromo.

A retomada das atividades será o início de um processo para ampliar o complexo. Se estuda um convênio do Executivo com o setor privado, um incentivo a investimentos, para ampliar e otimizar a operação.

A área na Linha José pertence ao Estado com manutenção delegada ao município. A renovação da concessão ocorre em 2016, de forma automática.

A pista

Com 600 metros, sem pavimentação, a pista só comporta aviões menores, de hélice. De acordo com o engenheiro Tadiello, o espaço e relevo da região permitem uma pista de 1,3 mil metros. Assim, no futuro, o aeródromo se limita ao código 2, ou RBAC 154, com capacidade para aviões comerciais da linha regular, a jato, de até 24,6 metros de comprimento. Outras aplicações acompanhariam o investimento da pista, como iluminação, construção de hangares e áreas de embarque e desembarque.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...