ACI-E e Promotor Prediger conclama a todos para levantarem custos diretos e indiretos provocados pelo pedágio de Encantado e situações das rodovias

Estiveram reunidos na tarde desta quarta-feira, doze de dezembro, diretoria da Associação Comercial e Industrial de Encantado, representantes das Câmaras da Indústria e Comércio de Roca Sales, Anta Gorda e Guaporé, e da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Muçum, empresários e promotor de Justiça de Encantado, Dr. André Prediger.

O encontro tratou da praça de pedágio de Encantado e a situação das rodovias da região alta do Vale do Taquari. Prediger relatou sobre as ações movidas contra a EGR – Empresa Gaúcha de Rodovias. A primeira, obteve sucesso parcial, sendo que as cancelas ficaram abertas e não houve cobrança de pedágio por cerca de 30 dias. A segunda ação não logrou êxito algum, pois o poder judiciário, ainda em primeira instância, julgou que as provas não eram suficientes. Para Prediger “A comunidade da região alta do Vale do Taquari já não suporta mais arcar com os custos da praça de pedágio, recebendo em troca serviços ruins e péssimas rodovias”.

Diante de tantos custos diretos e indiretos provocados pela cobrança de pedágio, despesas, perda de receitas, desperdício de tempo, negócios inviabilizados, por causa da péssima situação das rodovias, Prediger conclamou a todos os empresários e representantes das associações empresariais, para levantarem seus custos e numa próxima reunião, juntar estas informações, e formalizar uma nova ação.

A presidente da ACI-E, Renata Casagrande Galiotto, reforçou o convite, e convocou todos os empresários a participarem do movimento, pois o pedágio tira a competitividade de nossas empresas, reduzindo postos de trabalho e o retorno de impostos aos nossos municípios. “A cobrança de pedágio e a péssima situação das rodovias criam um efeito cascata em toda a população da região alta do Vale do Taquari. Além do que, pagamos impostos como qualquer gaúcho, pagamos pedágio, mas não temos sequer boas rodovias. Porque somos tratados diferentes pelo governo estadual?”, questiona Renata.

O movimento terá continuidade com a apresentação pelas empresas dos dados financeiros, despesas e custos diretos e indiretos provocados pelo pedágio e a péssima situação das estradas, até o dia onze de janeiro de 2019. Estas informações deverão ser encaminhadas para a ACI-E, para o e-mail executivo@acie.com.br.

Também foi combinado que o próximo encontro acontecerá na ACI-E, na terça-feira, 22 de janeiro de 2019, onde serão convidados a participar os poderes executivos e legislativos dos municípios, e comunidade em geral. Para obter mais informações e confirmar presença, basta contatar a executiva da ACI-E, Bernardete Rissi, pelo telefone (51) 3751-2255.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...