6º Revive Boa Vista: Ação socioambiental teutoniense terá novidades e ocorre no dia 3 de outubro

A 6ª edição do Revive Boa Vista, ação socioambiental teutoniense que visa a preservação do Meio Ambiente e a conscientização da população para cuidados com a natureza e a correta destinação do lixo, que tradicionalmente ocorre no mês de outubro, tem data marcada: será no dia 3. Iniciativa da Unidade Parceiros Voluntários de Teutônia, com apoio da Prefeitura de Teutônia e Emater/RS, e das mantenedoras CIC Teutônia, Certel, Couros Bom Retiro, Seccare, Languiru, Sicredi, Unimed, Grupo Krabbe e Star Led, o evento deste ano terá novidades.

A recepção aos voluntários será às 8h, no Auditório 3 da CIC, quando serão apresentados detalhes da ação do dia. Em seguida, das 8h30min às 11h30min, haverá a coleta de lixos eletrônicos, cujo recebimento será no Centro Municipal de Eventos. Entre esses materiais estão sucatas, pilhas, celulares, cartões magnéticos, chapas de Raio-X e baterias (exceto de veículos), eletrônicos em geral e até óleo de cozinha e medicamentos vencidos. “Esse material deverá ser levado pela comunidade até o Centro Municipal de Eventos e, de lá, será recolhido por empresas especializadas e que darão o destino final correto. Toda comunidade está convidada a participar”, ressalta a coordenadora da PV, Tatiani Ballus, que apresentou a programação do evento no 1º Fórum Revive Boa Vista, ciclo de palestras iniciado no dia 10 de setembro e que é “um braço” da ação socioambiental do dia 03 de outubro.

Nesse mesmo dia ainda haverá blitz nos bairros Languiru (sinaleira e Supermercado Languiru), Canabarro (sinaleira e Rua Capitão Schneider) e Centro Administrativo (em frente à prefeitura e no Centro Municipal de Eventos). Mais informações e inscrições pelo fone (51) 3762-1233 ou pelo e-mail parceirosvoluntarios@cicteutonia.com.br.

Levando conhecimento ambiental

A programação da 6ª edição do Revive Boa Vista também propôs a discussão e compartilhamento de conhecimento ambiental. Inserido nessa proposta, a comissão organizadora decidiu pela realização do 1º Fórum Revive Boa Vista. Dividido em três etapas, na manhã do dia 10 de setembro ocorreu a primeira rodada de palestras, destinada à representantes das empresas mantenedoras da PV, prefeituras, em especial secretarias de Meio Ambiente e Agricultura, além da comunidade empresarial.

“A ideia do Fórum surgiu a partir da necessidade de discutirmos mais a fundo o tema sustentabilidade, Meio Ambiente e legislação ambiental. Com as palestras, procuramos oferecer a informação e aproximar a sociedade das questões relacionadas à preservação ambiental. Além disso, com palestras distintas para públicos variados, buscamos relembrar alguns conceitos e atitudes básicas, a serem adotadas por todos nós, como cidadãos, nas nossas em empresas, nas nossas casas, desenvolvendo a consciência ambiental”, explica Tatiani.

Palestras

Na primeira rodada de palestras, realizada no Auditório 01 da CIC, foram destacados “Gestão de Resíduos”, com a bióloga Cátia Viviane Gonçalves; “Responsabilidade Social: teoria x prática”, com o coordenador da Rede Parceiros Voluntários no Rio Grande do Sul, Guilherme Mielle Borba; e “Licenciamento Ambiental”, com o advogado Alexandre Burmann.

Também na noite do dia 10 ocorreu palestra no Auditório 3 da CIC, dirigida aos estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Na ocasião, o presidente do Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica Taquari-Antas, Júlio Salecker, falou sobre o tema “Preservando os recursos hídricos: um bem comum”. Cerca de 80 pessoas participaram da palestra.

Nesta quinta-feira, dia 17, ocorre a terceira e última etapa do 1º Fórum Revive Boa Vista, com evento direcionado aos estudantes de Teutônia, em especial do 4º ano do Ensino Fundamental. A programação ocorre na Associação da Água do Bairro Languiru, das 8h30min às 11h e das 14h às 16h30min.

“Se fosse fácil, todos já teriam feito”

Cátia procurou estimular a reflexão dos participantes sobre a atual realidade ambiental. “As pessoas devem se enxergar dentro da gestão ambiental, sair da zona de conforto para provocar a mudança. O Meio Ambiente e a preservação devem estar presentes nas nossas ações pessoais do dia a dia. Gestão ambiental são olhares diferentes sobre a mesma coisa e, a partir disso, criamos mecanismos de controle”, frisou, citando as contas de água e luz como ferramentas de controle nas nossas residências e empresas.

A bióloga reafirmou que cada um de nós deve fazer a sua parte. “Conversando e discutindo, podemos fazer algo diferente, sem jogar toda essa responsabilidade apenas para as escolas. Gestão ambiental é uma questão de cotidiano. Nossa responsabilidade sobre o lixo não acaba quando colocamos o lixo na frente de casa para a coleta do caminhão. Não podemos ter a impressão de que o problema não é nosso, sempre adiando e passando o problema para a próxima geração. Vivemos como se amanhã não tivesse amanhã, quando deveríamos ter um olhar diferente e ver o que podemos mudar. Se fosse fácil, todos já teriam feito”, concluiu.

“Nenhuma mudança começa em outro lugar se não na frente do espelho”

Borba apresentou breve cenário do terceiro setor, atendido pelas ONGs, que segue em constante evolução e conquista uma parte importante do mercado. “Nós, enquanto comunidade, podemos solucionar nossos problemas, nós podemos fazer mais por nossas comunidades. Precisamos ter atitude, dar o primeiro passo. Tempo, trabalho e talento norteiam o voluntariado”, exemplificou.

Para ele, “nenhuma mudança começa em outro lugar se não na frente do espelho. O núcleo da primeira mudança se chama ‘eu’. Podemos fazer muito mais, pertencer muito mais, toda pessoa é solidária e um voluntário em potencial. A Parceiros Voluntários quer despertar essa vontade em fazer algo voluntário, quer ser o elo entre vontades e necessidades”.

Ao final, ele desafiou o grupo: “coloquem o voluntariado na agenda de vocês. Tudo é uma questão de atitude, de poder fazer algo mais com o tempo que cada um de nós possui e, lá adiante, poder olhar para o passado e ter a noção de realização.”

“Precisamos mudar a visão ideológica de que as empresas são contra o Meio Ambiente”

Burmann falou de “Licenciamento Ambiental” e enfatizou que questões de responsabilidade social e ambiental são muito recentes. “O marco inicial foi a Convenção de Estocolmo, de 1972. Ainda há muito a ser explorado na área ambiental e, nisso, as empresas possuem papel significativo na preservação e recuperação do Meio Ambiente. Precisamos mudar a visão ideológica de que as empresas são contra o Meio Ambiente”, alertou.

O advogado apresentou base legal do Licenciamento Ambiental, detalhando prazos para concessão ou não de licença. Para ele, falta um fluxograma das atividades no que se refere ao Licenciamento Ambiental de empresas. “Nesse contexto, é muito positivo que o Município tenha ampliado sua capacidade para celeridade dos processos, o que infelizmente ainda não acontece na Fepam. Existe muita dificuldade nessa relação com os órgãos ambientais. É preciso dar segurança jurídica aos empreendedores, com regras claras e definidas no que se refere aos procedimentos administrativos dos órgãos ambientais. É fundamental planejar as cidades para o futuro”, concluiu.

Desfile da Semana Farroupilha

No dia 20 de setembro ocorre o lançamento oficial do 6º Revive Boa Vista. Será com a tradicional participação no desfile da Semana Farroupilha do CTG Rincão das Coxilhas, do Bairro Languiru. O envolvimento no evento tradicionalista é uma oportunidade diferenciada de divulgação e convite à comunidade para participar da ação do dia 03 de outubro.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...